Fórum Oficial do Tokio Hotel no Brasil - TH BRASIL OFICIAL FÓRUM
 
InícioPortalRegistrar-seLoginIr para o site@THBRASILOFICIALFacebook

Compartilhe | 
 

 Teenager - AVISO IMPORTANTE.

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3  Seguinte
AutorMensagem
Anne Lander
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 339
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 19/12/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Orkut

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Seg Out 15, 2012 10:05 am

Olá princesas :}

Obrigado pelos comentários e desculpe o atraso!

Na verdade, a Megan vai realmente se apaixonar pelo Bill, sem querer provocar ciúmes no Tom e ainda não esquecê-lo, been trying hard not to get into trouble, but I I’ve got a war in my mind

Desejo a vocês uma boa leitura study

______________________________________



Capítulo 5 – You can go your own way.
(Você pode seguir o seu próprio caminho).


Eu até confesso que eu não estou muito empolgada para ir a essa festa de boas vindas ao Bill, o garoto completamente desconhecido a mim, o que realmente me animava era que eu veria Georg, já que eu não o via há tanto tempo. Bill deve ser uma boa pessoa já que a antiga banda composta por eles era formada justamente pelo Georg e pelo Gustav, amigos de longa data nos quais eu confio de olhos fechados.
Bom, a minha infância fora repleta de muitas aventuras e muitas pessoas especiais que passaram por ela. E Georg, definitivamente, fez e faz parte da minha vida, desde que eu era uma pentelha que vivia enchendo a paciência da minha avó. Georg e seus pais eram vizinhos dos meus avós, e consequentemente, nós dois passávamos horas e horas brincando, mesmo ele sendo dois anos mais velhos do que eu e nós dois nos separamos drasticamente quando seus pais se divorciavam, e ele menor de idade, recebeu a guarda da mãe que se mudara para Berlim, assim nós nos comunicávamos apenas por telefone e nas visitas mensais ao pai.
Tom combinou de vir me buscar às 20 horas e nós íamos encontrar o restante da turma no Empire Bar, que fica do outro lado da cidade, onde atualmente Georg reside, demoraríamos quase uma hora para chegar até lá, mas só assim poderíamos reunir todos sem que faltasse alguém e assim apresentar Bill à turma, logo ele seria um dos membros e nada mais justo do que recebê-lo animadamente com uma festinha improvisada num bar com conhecidos.
Eu não estava muito preocupada com o que eu iria vestir, até por que não é uma grande festa que mereça um vestido elaborado, uma maquiagem maravilhosa e cabelo alinhadamente perfeitos. Talvez eu só vestisse algo mais simples, eu realmente só queria ver meus amigos e beber algum refrigerante qualquer e depois dormir tranquilamente na minha cama com meus edredons, já que o dia fora cheio! Principalmente por que depois de um banho quente e relaxante, que por fim me deu uma imensa vontade de deitar debaixo dos meus edredons, eu coloquei um short preto, uma camiseta estampada e minhas botas favoritas, simplesmente simples.
Logo, eu dei conta de que, a minha preguiça e má vontade era tamanha que eu enrolei para vestir-me e já se passava das 20 horas, e possivelmente, Tom estaria atrasado, isto por que ele mora a poucas quadras daqui. Então eu apenas apanhei o celular e as chaves de casa já que meus avós foram na lavanderia levar as roupas para lavar, o que já levaria algum tempo, e logo iriam sair para jantar, aproveitando que eu sairia com meus amigos. Era tradicional dos mesmos fazer isto as sextas, geralmente, nós três vamos juntos levar as roupas na lavanderia e depois saímos para jantar.
Eu fui até o lado de fora de casa com o objetivo de esperá-los na varanda, assim fechando a porta atrás de mim com a chave que deixei debaixo do tapete, tendo em mãos meu celular com fone de ouvidos, caso a conversa entre o casal e Bill fosse suficientemente tediosa nesse fim de sexta-feira, assim que eu me virei para sentar-me no banquinho de madeira posicionado na varanda, eu notei o carro do Tom se aproximando, estacionando no meio fio, assim que ele chegou totalmente, eu pude ver com clareza Tom ao volante, Kate ao se lado, e, possivelmente, o tal Bill de dentro do carro. O casal estava no banco da frente e o irmão gêmeo atrás, eu segui até a porta de trás e o abri rapidamente, assim eu adentrei o carro. Tom tirou a licença dele a pouco e ganhou seu tão sonhado carro, quando nós precisávamos ir do outro lado da cidade ver Georg e os outros companheiros, ele nos levava.
– Bill, essa é a Megan – apresentou-me Kate, assim que me sentei ao seu lado no banco de trás do carro – Megan, esse é o Bill – concluiu a apresentação.
– Oi Bill! – falei animada ao vê-lo.
Seus olhos brilhavam como se quisessem me dizer algo secretamente; Bill possuía uma beleza sem igual, claro, assemelhando-se completamente a Tom, pelo fato deles serem gêmeos como Kate não cansava de repetir no meu ouvido o dia inteiro que se passou.
Seus cabelos eram compridos, em dreads brancos e pretos, talvez o cabelo dele seja ainda maior que o meu, um caso a parte para invejar. Seus olhos além de terem uma coloração castanha divina, ainda eram adornados por sombra preta feita com extrema perfeição. Ele tinha um piercing na sobrancelha, e pelo visto, na língua também, quando ele abriu um sorriso enorme a me ver. Ele tinha algo que era único, e isso de alguma forma, me deixava encantada, sem palavras para descrevê-lo com tamanha perfeição aos modos em que eu o vi.
Palavras não bastavam, Bill era definitivamente, a pessoa mais incrivelmente bonita que eu já vi.
– Tudo bem? – ele questionou, após um abraço de cumprimento, demonstrando o grau de beleza até em sua voz.
– Estou bem – respondi sorrindo timidamente. Provavelmente, ele deve estar achando que eu sou uma retardada, mas eu sou muito levada pelos meus sentimentos, é algo que eu não consigo evitar, e até então, eu estava realmente encantada com a sua beleza, sem fôlego.
Quando eu menos percebi, nós já estávamos na estrada.

[...]

– Que sem graça vocês! – falei, depois de um longo tempo em silêncio dentro do carro, realmente, ficar algum tempo sem falar, mesmo que com a presença desagradável do Tom, era torturante para mim.
– Por quê? – Kate questionou.
– Faltam 20 minutos para chegarmos e eu estou completamente entediada! – exasperei, suspirando pesadamente após.
– Vamos brincar de verdade ou desafio? – Tom propôs malicioso.
– Em movimento? – Bill questionou confuso.
– Vamos por ordem alfabética, só para distrair – Kate complementou o que o Tom quis propor.
– Vamos por ordem alfabética só que ao contrário, eu não quero ser o primeiro! – Bill falou.
– Tom! Tom! – todos gritaram e bateram palmas, voltando suas atenções para ele que, claro, sorriu malicioso como se estivesse se achando por todos estarem gritando seu nome como fãs malucas.
– Eu desafio o Tom a falar que o Bill é mais bonito que ele! – Kate provocou, apontando o dedo para ele.
– Ah! Não, de jeito nenhum! – negou.
– Então a sua punição é ficar sabendo que eu estou sem calcinha e não poder fazer nadinha de nada comigo, então! – Kate provocou retirando sua peça íntima provocantemente, durante uma parada no semáforo.
– ECA! – falei de brincadeira ao ver Kate rodando a peça íntima no dedo indicador, provocando Tom, que tentava não observá-la, mas ele deveria estar se arrependendo amargamente por isto.
– Megan? – Kate me chamou em tom provocativo.
– O que tenho eu? – eu questionei, mas era claro que era a minha vez na brincadeira estúpida, mas que estava servindo muito bem de distração até chegarmos.
– Sem camiseta por duas esquinas! – Tom falou apressado, claro que eu tentei não me irritar com aquela proposta indecente na frente da sua namorada cujo é minha amiga. Claro que ele queria me ver assim, mas eu tentaria contestar.
– Ainda estamos na estrada! – insisti, tentando desviar aquela ideia maluca para outra mais simples.
– Quer uma punição? – Kate ameaçou entrando na brincadeira do Tom, como ela é inocente!
– Não, não, não! – mudei minha ideia, era só eu fingir que estava na praia, eu tenho até medo do que esses dois podem aprontar comigo como punição, principalmente do que Kate acabara de torturar Tom, então eu rapidamente retirei minha camiseta, deixando duplamente torturado.
– Bill! Bill! – falei de brincadeira, amedrontando-o.
– Que medo! – ele fez uma cara de pânico, quis ficar por último, agora chegou à vez dele.
– Bom, eu desafio o Bill, a beijar a Megan por DOIS minutos! – Kate falou dando uma piscadela pra mim.
Naquele instante, as minhas bochechas deveriam estar completamente avermelhadas, eu abri minha boca em sinal de completo espanto ao desafio proposto, e logo vi a do Bill fazer a mesma, mas logo abaixo vi sua mão me chamando e sua feição de espanto se tornar de total perversão, o que até assemelhou-se quase que completo, o Tom, quando nos beijamos pela primeira vez.
– Esperem! Eu vou parar o carro agora, eu quero ver isso! – Tom falou avistando um posto de gasolina com uma lanchonete que sempre íamos à hora de voltar para jantar. Ele entrou e estacionou o carro em uma das vagas desocupadas do estacionamento do local.
Assim que com as mãos Tom fez um sinal de que podíamos, eu me virei em direção ao Bill, meu objetivo? Aproveitar que, Tom propôs algo tão... Indecente, e fazer com o Bill, em dois minutos, todas as coisas que eu queria fazer com ele por um ano, aliás, não todas as coisas, pois ele nunca vai descobrir. Sim, me parece completamente infantil, mas eu vou provocá-lo, ele sempre me torturava beijando Kate a minha frente, fitando-me, agora é a minha vez.
Sentei-me em seu colo, posicionando meus braços ao redor do seu pescoço, recebendo-o em meus lábios. No primeiro contato dos nossos lábios, eu senti que Bill tinha um beijo incomparável. Suas mãos repousaram em minha cintura que devido à ausência de camiseta ou semelhante, senti seu toque quente e macio de suas mãos, misturado ao gélido de seus anéis em seus dedos sobre minha pele rapidamente e aquilo, de alguma forma, causou-me um pequeno arrepio.
O beijo iniciou-se calmo, mas suas mãos subindo calmamente ao longo das minhas costas, passando pelo fecho do sutiã, que se não fosse pelas circunstâncias que nós nos encontrávamos, com dois observadores calculando o tempo em que estaríamos naquele beijo, eu já estariam sem essa peça de roupa agora. Suas mãos percorreram pelos meus ombros brincando com as ondas dos meus cabelos e logo descendo sobre meus seios até se reposicionar na minha cintura novamente, descobrindo novos pontos em mim, com apenas o toque quente e suave de suas mãos.
– JÁ SE PASSARAM CINCO MINUTOS, SEPARAM AGORA! – gritou Kate gargalhando junto do Tom, separando-nos.
– Cinco? Por mim, eu continuaria! – falei brincando.
– Eba, eu formei um casal! – Kate comemorou com uma dança no mínimo esquisita.

[...]

Rapidamente, o Tom seguira de volta a estrada, já que pelo tempo em que perdemos no estacionamento do posto de gasolina, fazendo a parte do Bill no desafio improvisado, nós acabamos por ficarmos um pouco atrasados ao horário que estava previsto para chegarmos. Mas venhamos e convenhamos que fora um atraso muito agradável, se é que me entendem.
Em meio ao restante do caminho, eu me deitei no banco, apoiando minhas costas sobre o Bill, que logo estava com o braço sobre meu ombro deslizando em meu braço esquerdo, assim, acarinhando-o despreocupadamente. E facilmente, era só eu pender minha cabeça para trás e encontrar com seus lábios nos meus.
Em pouco tempo que eu o conheci, eu já fiquei completamente atordoada com a sua beleza única, e agora, ele me faz sentir como se eu estivesse apaixonada por ele com o frio na barriga e o coração acelerado, sintomas típicos da paixão, senti-os quando beijei Tom pela primeira vez e fora certeiro que eu estava apaixonada por ele, mas agora, era como se só existisse ele em minha vida, só ele por quem eu estivesse apaixonada, mas... O que eu sabia dele? Será que fora paixão a primeira vista? Eu tenho uma noite e parte da madrugada para descobrir.
Pouco tempo depois, nós chegamos. Tom deixou o carro no estacionamento do bar e assim saímos do carro, caminhando até o bar onde na porta, já avistamos um grupo de pessoas conhecidas fazendo baderna. Tom e Kate seguiram a frente de mãos dadas entre alguns abraços devido à brisa gélida da noite em que se passava e Bill e eu seguimos atrás deles, disfarçadamente, próximos um ao outro.
Escorreguei a ponta dos meus dedos sobre seu braço desnudo por causa de mangas da jaqueta cinza dobradas, até encontrar com sua mão, docemente entrelaçando-as, ele me fitou sorridente e se aproximou para selar outro beijo.

______________________________________

x Roupa da Megan, caso não consigam acessar o link. Clique aqui.

Gostaram?
Quarta-feira tem mais!
buchecha
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://in-dienacht.tumblr.com/
Missy Bardot
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1011
Idade : 24
Localização : Santa Catarina
Data de inscrição : 19/06/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Seg Out 15, 2012 11:38 am

Caraaa...tua fic tá show guria,posta mais plis study
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ilana
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3843
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 01/02/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Seg Out 15, 2012 5:36 pm

Suposições erradas... Ou quase... Porque na hora do beijo ela realmente quis provocá-lo kkkkkk
Bem, nem tem o que dizer né? Capítulo perfeito, amei!!
Ansiosa para o próximo :3
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://eternitytokiohotel.tumblr.com/
kiinha kaulitz
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 2401
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 30/05/2009

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Amigos

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Dom Out 28, 2012 9:12 pm

Ilana escreveu:
Suposições erradas... Ou quase... Porque na hora do beijo ela realmente quis provocá-lo kkkkkk
Bem, nem tem o que dizer né? Capítulo perfeito, amei!!
Ansiosa para o próximo :3

que saudades que eu estava de ler essa fic *.*

Aposto que ela ainda vai aprontar muito com o Bill nessa festa... e estou aguardando ansiosaaaa....
Voltar ao Topo Ir em baixo
Anne Lander
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 339
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 19/12/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Orkut

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qua Out 31, 2012 9:44 am

Olá, bom dia princesas :3
Obrigado pelos comentários, e me perdoem a demora novamente, agora consigo postar com mais regularidade, enfim, espero que gostem desse capítulo.

É, um pouco de vingança, mas logo ela se apaixona e cai de cara no amor do Bill.

Boa leitura study

__________________________________________



Capítulo 6 – That's just how we do.
(É assim que nós fazemos).

Nós continuamos a caminhar pelo estacionamento até o grupo que nos esperava.
O chão do estacionamento era repleto de pedras, o que consequentemente devido ao enorme salto que Kate usava, ela quase escorregara no mesmo, levando Tom que a acompanhava, mas por sorte, ele é mais forte que ela e a equilibrou, mesmo assim, eu e Bill que estávamos atrás, rimos o que despertou o grupo a frente que logo nos viram.
E lá estava David, simplíssimo com camiseta branca, jeans e tênis, com barba por fazer e cabelos penteados para trás, Lívia estava com um vestido super curto prateado e saltos nos pés com os cabelos penteados com pequenas ondas e brincos prateados combinando com seu vestido, enquanto Emma estava mais meiga estava com vestido curto branco com babados, meia-fina de bolinhas pretas e saltos também com cabelos loiros bagunçados e um casaco preto por cima. Ao seu lado estava Gustav com suas bermudas cinza e camiseta de banda com tênis, Georg com seus jeans e camiseta, cabelos impecavelmente arrumados e tênis. E Andreas, ou Andy, como eu preferia chamá-lo, estava seguindo a linha simplíssima do David. Todos estavam extremamente lindos para comemorar esta noite.
- Pessoal, retirando Gustav e Georg que já o conhece, esse é meu irmão, Bill – Tom o introduziu ao grupo. Um a um cumprimentou-o, desejando boas-vindas ao grupo e logo adentramos o local para curtir a noite.

[...]

Até que a noite estava seguindo-se animada, claro, para aqueles que têm seus pares e que estão passando a noite com os mesmos.
Num canto, estava Tom e Kate aos beijos e carinhos um com o outro, e ao lado deles, Gustav e Lívia também, ah eu me esqueci de mencionar, mas eles são namorados há poucos meses. Ele é calmo demais e ela é completamente elétrica e agitada, e bem que dizem por ai que os opostos se atraem, eu os invejo tanto! Mas, claro, uma inveja boa. Eu desejo tudo de bom para eles, tudo mesmo, eles merecem, ótimos amigos para mim. E bem, ao lado dele estava Andy, como sempre tentando flertar Emma, o que ele não conseguia desde muito tempo, mas fiquei sabendo que os dois já tiveram um caso no passado e David estava com uma garota desconhecida também. E bem, no bar estava eu e Georg. Bill? Ah, está trocando ideia com uma garota que o flertou.
- Hei. O que está acontecendo? – Georg questionou-me.
- Nada demais! – respondi sem muito interesse tocando na borda do meu copo ainda cheio de refrigerante, claro que em comércio, eu não poderia mesmo beber nada alcoólico, por mais que aquilo me consumisse por dentro para beber e afogar as minhas mágoas instantâneas da rejeição do Bill.
- Aconteceu alguma coisa sim, eu estou sentindo! – insistiu ele.
- Droga, eu estou com ciúme do Bill, que merda! – respondi irritada, fitando-o as gargalhadas com a tal.
- Mas já?! Ele chegou esses dias, Meg – Georg comentou, gargalhando como se aquilo realmente fosse uma piada.
- Nós ficamos – respondi enrolada, de forma a ele não me ouvir.
Ele bebericou a cerveja e logo me questionou - O que você disse?
- Nós ficamos – respondi num tom mais audível.
- Ah, já está explicado – ele concluiu – Só digo uma coisa, se você quer mesmo ele, vá e seduza-o – ele finalizou, tornando a beber a sua cerveja.
- Eu? – questionei surpresa.
- Você tem sangue latino em suas veias, deveria saber disso – ele disse, dando uma piscadela para mim.
- E você sabe que eu não tenho talento algum para isto – levei o copo a boca e beberiquei do refrigerante.
- Tem sim, você acha como que você me conquistou? – ele questionou, pousando a sua mão sobre a minha, sorri meiga ao ouvir isto. Fora impossível não se lembrar de tempos remotos.
Gargalhei.
Eu o amava. Georg era parte de mim. Sempre esteve ao meu lado, sempre me apoiou e sempre me ajudou com todos os meus problemas e dilemas, e assim como eu ajudei com os dele e sempre me mantive ao seu lado. Éramos dois atrapalhados, vivíamos caindo e rindo um do outro e com isto, espantando a tristeza e a falta que o outro fazia, já que morávamos e moramos ainda muito longe um do outro, nos vemos tão pouco, talvez somente em finais de semana. E não havia outra pessoa nesse mundo que eu poderia confiar meus maiores segredos do que ele.
Crescemos e mudamos física e emocionalmente, e claro que uma hora ou outra, aquilo iria acontecer e não havia outro homem no mundo inteiro que eu poderia ter confiado meu corpo, a minha primeira vez. Foi com ele, claro, e por isso que ela foi tão inesquecível. Ele me fez sentir bem, amada e mesmo com as inseguranças da idade e da circunstancia, tornamos aquela experiência menos traumática possível.
- Ah, então vamos nos divertir? – ele propôs ostentando um belo sorriso nos lábios, esticando a mão para mim.
- Vamos! – gritei. Estiquei a minha mão para alcançar a dele logo sentindo ele me puxar em direção à pista de dança, e instantaneamente a música que tocava, parecia estar mais alta do que anteriormente ao convite para ela e extremamente dançante, chamando os presentes para dançarem imediatamente com a sua batida contagiante.
Então eu fiz um acordo comigo mesma de que eu ia espantar essa tristeza e que se fosse para acontecer, ele já teria desistido da garota e estaria comigo se divertindo, ou seja, é para ser. E vou me divertir, por que eu mereço ser feliz com a pessoa que mais me faz feliz e ficar choramingando no ouvido dele no único dia que temos para ficar juntos, não é legal e egoísta da minha parte, então diversão é a palavra do momento.
Ele me levou pela mão até a pista onde já havia algumas pessoas dançando ao ritmo da música que tocava através das caixas de som enormes do ambiente. Logo que eu captei o ritmo da música, passei a me entregar a ela e dancei animadamente com ele, assistindo seu sorriso e conjugando o meu ao dele.
Em meio à dança não coreografada e divertida, eu me virei de costas para Georg, seguindo o ritmo caloroso da música, me remexendo toda, eu joguei meus cabelos para um lado e para o outro, rebolando, sentindo as mãos de Georg sobre minha cintura, e assim eu o avistei extremamente próximo à garota que ele estava conversando, eles deviam estar a um passo de se beijarem. Será que ela vai sentir meu perfume sobre o dele? Espero que sim.
Como um raio que atingiu o meu peito, correspondendo àquela pontada de ciúmes que era dolorida e velha conhecida minha, a música que passou a tocar era uma das minhas preferidas. Gimme More – Britney Spears. Eu me desvencilhei dos braços de Georg rapidamente e caminhei em direção à bancada do bar, que estava estranhamente vazia. Então sem esforço algum, eu subi na mesma.
Claro que com essa atitude ousada, eu ganhei a atenção de todos que esperavam que no mínimo, eu retirasse as roupas e dançasse loucamente ali. Mas fiquei com a última opção, sem vergonha alguma tomada pelo sentimento de fazê-lo sentir seduzido por mim, eu comecei alguns passos sensuais, seguindo a batida da música, descendo e subindo, sacudindo os quadris e jogando o cabelo para o lado mantendo meu melhor sorriso perverso nos lábios.
E o melhor da minha atitude maluca foi que todos curtiram o meu pequeno show e estavam dançando ao som da música, e vi no rosto do Bill, um olhar lascivo sobre as minhas curvas. Inocente? Acho que não, só a primeira vista mesmo.
Quando a música acabou, Georg que ria da minha atitude, me pegou nos braços e me pôs no chão.
- Você é maluca mesmo – ele disse ainda rindo.
- Vai confessa que você não gostou? – questionei rindo.
- Claro! – ele falou sorrindo perverso.
Ele fora pegar outra cerveja e um refrigerante para mim, enquanto eu fui juntar aos meus amigos que agora conversavam animadamente e provavelmente sobre meu showzinho. Cheguei dançando ao ritmo da música que tocava agora e recebi de volta gritos de “continua”, “gostosa”, “mostra seus peitos”, claro todos das meninas, por que os garotos se conterão em somente assoviar.
Georg voltou e logo se juntou ao grupo, sentando ao lado oposto, deixando o espaço vago que poderia muito bem ser ocupado por ele. Nem me preocupei em observá-lo mais com a outra garota, e assim, me enturmei nos assuntos que rodeavam o grupo e deixei as horas passarem calmamente.

[...]

O tempo passou rápido, e eu nem havia percebido.
Aos poucos, eu comecei a me sentir deslocada do grupo, todos estavam felizes e sorridentes e eu só queria estar em casa dormindo. Então eu decidi tomar um pouco de ar.
Eu caminhei para fora do local, com a desculpa que ia tomar um pouco de ar, mas na verdade, eu estava cansada mesmo e só queria ficar um momento longe da batida das músicas e do cheiro de álcool.
Senti passos atrás de mim, quando eu me virei, avistei-o. Ele sorriu e deu uma piscadela para mim, a atitude dele fora rápida; e o modo como ele me capturou em seus lábios fora ainda mais instantâneo.
Rendi-me a ele e dei continuidade ao beijo.
Ele soltou-me, aninhando-me em seus braços.
- Eu estava me matando por dentro, aquela garota era pegajosa! – ele exclamou.
- Então você não queria ficar com ela? – questionei surpresa.
- Claro que não, eu quero você – ele respondeu, pincelando a ponta de seu dedo indicador em meu nariz, fazendo-me sorrir – O tempo inteiro, só você – finalizou sussurrando as últimas palavras.
Ele tomou minhas mãos e caminhamos até o parque a frente do bar, sentamos no balanço, ele de um lado e eu do outro, trocando sorrisos cúmplices.
- Me fale um pouco sobre você – ele falou, quebrando o silêncio.
- Bom – suspirei – Meu nome é Megan Castillo, eu tenho 16 anos e sou descendente de espanhóis, minha mãe é americana assim como eu. Ela é meu pai se conheceram em Los Angeles e eu sou a única filha deles, para que eu tivesse uma boa educação, quando menor, fui mandada para morar com meus avós e assim segue. Na escola, eu sou líder de torcida. Eu amo dançar e cantar secretamente em chuveiros, por que eu tenho vergonha de cantar para os outros.
- Por que não? – ele questionou surpreso.
- Eu não acho que eu seja tão boa – respondi insegura.
- Eu também canto – ele acrescentou.
- Mas aposto que você é ótimo – elogiei.
- É, eu sou – ele falou batendo no peito.
- Convencido! – falei gargalhando.
- Então você é líder de torcida de uniforme e tudo?
- Exatamente.
- Você gosta do que faz?
- Claro! Adoro torcer! Mexer os pompons! – ele riu.
- Estou te entrevistando, se você não percebeu – gargalhei ao ouvir aquilo.
- Claro que eu percebi, seu bobo.
Balançamos mais um pouco, e depois fora a minha vez de conhecer melhor ele, a sua história até aqui.
Ele levantou-se para balançar-me.
- Estou me sentindo uma criança novamente – eu falei.
- Quando a única preocupação era qual brinquedo você ia brincar primeiro... – ele completou o meu pensamento.
- Quando você cresce, as pessoas dizem que você é novo demais para fazer tais coisas ou que você já é velho demais para fazer tais coisas, é a fase da indecisão e de se encontrar dentre as diversas opções que a vida dá.
- Você tem a alma de um compositor – ele falou – Só sendo extremamente profundo e apaixonado para dizer tais palavras tão verdadeiras. Canta pra mim, Meg?
- Não Bill, eu não funciono com vergonha – falei sentindo minhas bochechas avermelharem.
- Não tem ninguém por aqui.
- Um dia eu canto, eu prometo.
- Ok, eu não vou insistir. Mas vou cobrar esse dia, viu? – assenti, ele depositou um beijo na minha testa.
Então, ele simplesmente deu a volta no balanço, ficando a minha frente, sentou-se sobre o piso gélido de concreto e ali ficou me fitando com um sorriso nos lábios. Enquanto eu balançava devagar, como eu estava a sua altura, cada ida a sua direção era um beijo rápido, até que o movimento foi perdendo a força e parando calmamente. Eu passei as minhas mãos delicadamente sobre seu rosto, apreciando sua pele macia e logo passei em seus cabelos, puxando-o delicadamente para mais perto, selando um beijo gostoso.
Bill era a peça chave que eu precisava para esquecer definitivamente Tom, mesmo que ele estivesse constantemente ao meu lado e sendo irmão gêmeo do Bill, mas Bill é muito diferente do irmão, ele é doce e gentil, e acima de tudo, divertido e amável.
Ele era o passo que eu precisava para encontrar a felicidade ou somente para ter um gostinho dela, depois de tanta infelicidade.

__________________________________________

Gostaram?
Sábado tem mais, se eu não postar, cobre no meu twitter, é completamente permitido! @backtoher

buchecha
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://in-dienacht.tumblr.com/
Missy Bardot
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1011
Idade : 24
Localização : Santa Catarina
Data de inscrição : 19/06/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qua Out 31, 2012 10:13 am

Tava com saudades já hahaha...
Amei esse momento love deles,eu imagino que o Bill na vida real seja assim mesmo hihi

Citação :
Estou me sentindo uma criança novamente – eu falei.
- Quando a única preocupação era qual brinquedo você ia brincar primeiro...
Tão nostálgica essa frase,me remeteu á minha infância rsrsrs por isso que gosto das suas fics...continua study
Voltar ao Topo Ir em baixo
kiinha kaulitz
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 2401
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 30/05/2009

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Amigos

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qua Out 31, 2012 8:29 pm

Missy Bardot escreveu:
Tava com saudades já hahaha...
Amei esse momento love deles,eu imagino que o Bill na vida real seja assim mesmo hihi

Citação :
Estou me sentindo uma criança novamente – eu falei.
- Quando a única preocupação era qual brinquedo você ia brincar primeiro...
Tão nostálgica essa frase,me remeteu á minha infância rsrsrs por isso que gosto das suas fics...continua study

Fala sério, quem não gostaria de alguem assim? *_____*

Voltar ao Topo Ir em baixo
Laíse
Iniciante


Número de Mensagens : 10
Idade : 17
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 17/10/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qui Nov 01, 2012 3:40 pm

To amando a fic muito fofo os dois no jardim love


-Leitora nova- =D
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://swanepoelcandy.tumblr.com/
Ilana
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3843
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 01/02/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Sex Nov 02, 2012 1:08 pm

Oh God, this chapter this perfect!

Adorei a parte do balanço, por favor, perfeita demais...
Cara, nem tenho o que dizer... Agora é só acompanhar para ver o que acontece... Porque nada fica perfeito por muito tempo.

Prossiga!
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://eternitytokiohotel.tumblr.com/
Anne Lander
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 339
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 19/12/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Orkut

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qua Nov 14, 2012 9:53 am

Olá :3
Obrigado pelos comentários! E seja bem-vinda Laíse, espero que goste king

Desculpe a demora, eu queria que chegasse quarta-feira para que eu pudesse deixar as postagens em ordem, serão feitas todas as quarta-feiras e sábados. Em casos de atrasos ou falta de internet, no dia seguinte. Tudo bem?

Boa leitura study

_____________________________________




Capítulo 7 – You’re my baby love.
(Você é meu amor).


E a segunda-feira chegou tão rápida que eu nem poderia acreditar que eu passei o domingo inteiro com o telefone no ouvido papeando com Bill.
Nosso relacionamento está de vento em polpa, eu estou extremamente apaixonada pela ideia de poder andar de mãos dadas com ele pela escola, vendo-o se interagir bem com os meus amigos igual à sexta-feira passada, e assim fazer o seu primeiro dia de aula menos traumático para quem estava acostumado com a simplicidade de estudar em casa sem o convívio social no qual vamos nos encontrar.
Eu tomei um delicioso banho matinal, que se não fosse pela minha paixonite, eu estaria tomando banho frio sem a mínima vontade de acordar, e logo um café da manhã reforçado. Hoje irá acontecer o primeiro jogo dos campeonatos regionais de futebol americano e tradicionalmente as líderes de torcida irão se apresentar no início, nos intervalos e durante os jogos, assim exercendo a função de torcer pelo time.
Subi rapidamente para trocar meu pijama rosado com estampa de ursinhos brancos pelo meu uniforme de cheerio, antes que eu me atrasasse para que meu avô me deixasse na escola como todos os dias. Dentro da bolsa avermelhada, bordada com as siglas da escola, eu separei o top e a saia, e os vesti. Ambos eram ao melhor estilo cheerio e continham a sigla da escola bordada na frente.
Fui vestir a jaqueta que estava apoiada na minha cadeira, seguindo a risca o emblema do top e da saia, quando um barulho ensurdecedor de buzina, me assustou. Fui correndo até a janela para conferir quem era e vi o Bill dentro de um carro desconhecido, mas muito bonito. Então, ele apenas acenou a modo de me chamar, e logo meu celular tocou. Sorri e acenei para ele, eu corri para apanhar o celular e vi uma mensagem dele dizendo:

Vim te buscar hoje, Meg.
Bill.

Voltei à janela e fiz um sinal para que ele me esperasse um pouco e respondi a mensagem com os seguintes dizeres:

Ainda preciso pentear meus cabelos, espera um minutinho?
Megan.

Ele não respondeu nada, então rapidamente larguei o celular dentro da bolsa, amarrei meus tênis e fui até a penteadeira para buscar minha escova e pentear meus cabelos até deixá-los num impecável rabo-de-cavalo, amarrando uma fitinha vermelha nele, criando um laço.
- Vó! – chamei-a, enquanto desci as escadas rapidamente, com a bolsa pendurada no meu ombro.
- Estou na sala, Megan! – ela falou paciente com a voz doce e aveludada dela.
- Vó – corri até ela – O Bill veio me buscar, eu vou com ele hoje? Avisa para o vô? – falei rápida e ofegante devido ao descer rápido de escada.
- Quem é esse rapaz? – ela questionou, erguendo a sobrancelha, suspeita.
- Ele é o filho da Simone – respondi.
- Kaulitz?
- Sim, ela mesma.
- Eu aviso sim, Meg, vá com cuidado! Fora ele quem buzinou?
Assenti com um sorriso enorme nos lábios, ela retribuiu com um sorriso amoroso, do tipo eu sei que você está apaixonada por ele. Eu caminhei ansiosa até ela, esperando receber o habitual beijo na testa e as resumidas recomendações diárias.
- Já sabe, tenha juízo! E boa sorte nos jogos! – ela desejou sorridente – Tem dinheiro para o lanche?
- Obrigado, vó. E a propósito, eu tenho sim!
Corri para fora de casa, encontrando Bill apoiado no capô do seu suposto carro, ele estava com trajes semelhantes aos de sexta-feira, com óculos escuros e um belo sorriso nos lábios. Assim que eu caminhei em sua direção, ele fez o mesmo, quando nos encontramos, me joguei em seus braços, beijando-o calmamente.
- Bom dia, Meg – ele falou, após, colocando os braços ao redor da minha cintura, e os meus de seu pescoço, acarinhando sua nuca.
- Bom dia, Bill. Eu não te esperava aqui! – falei ainda incrédula.
- Posso vir te buscar todos os dias? – sugeriu.
- Claro! – aceitei rapidamente.
- A propósito, você está linda – elogiou-me com um belo sorriso nos lábios.
- Obrigado, baby.
- Vamos?
Assenti.
Entramos no carro, com ele cuidadosamente abrindo a porta para mim. Antes de ligar o rádio e cairmos na estrada, ele contou-me rapidamente sobre o carro, que era do padrasto que está fazendo uma espécie de experiência, se ele se comportar, o carro será dele. Bill não tem cara que vai fazer algo extremamente drástico, as coisas que ele faz como fumar e beber, não são tão graves a ponto de retirar todas as suas liberdades, então, eu garanti a ele que o carro praticamente é dele, ele apenas sorriu e me deu um beijo casto.
O caminho não durava mais que meia hora, então, perdidos em meio a conversas, rapidamente, nós chegamos à escola. Eu o guiei pelo caminho que meu avô seguia, e ele disse que logo aprenderia, mas foi divertido ajudá-lo. Era incrível a facilidade que ele tinha para dirigir o carro! Eu acho que eu nunca aprenderia a dirigir assim ou, sendo mais exata, eu nunca aprenderia!
De longe, nós avistamos Tom e Kate, aos beijos no capô do carro. Rimos, e logo Bill avistou uma vaga ao lado do carro do Tom e assim estacionou-o graciosamente, invejei-o por saber dirigir tão bem. Ele fez os procedimentos de segurança no carro, enquanto eu pegava sua mochila na parte de trás do carro.
- Que posição é essa? – ele questionou.
- Desculpa – falei gargalhando.
Logo, nós dois saímos do carro ao mesmo tempo, ele deu a volta me encontrando no final, colocando o braço esquerdo ao redor da minha cintura. Kate e Tom imediatamente quebraram o beijo e nos observaram num misto de surpresa e assombro.
- Bom dia! – falei de brincadeira.
- Muito bom dia! – Kate falou em um tom malicioso ao nos ver.
- Digamos que meu primeiro dia de aula será inesquecível por eu ter a garota perfeita ao meu lado – Bill falou, carinhoso. Meu sorriso aumentou ainda mais ao ouvir tais palavras, ele deu um beijo na minha bochecha.
Logo, David, Lívia, Emma e Gustav chegaram e se ajuntaram a nós, dando boas vindas ao Bill na escola. Alguns dos alunos vieram também, mas a maioria cochichava aos cantos sobre ele, eu não me importava. Eu o conheço através daquele visual dele e sei que ele é uma ótima pessoa e um rapaz adorável por de trás daquela maquiagem e cabelos longos.
- Vocês vão me ver no jogo? – questionei.
- Claro que vamos! – Lívia tomou frente ao falar pelo grupo, o restante apenas concordou.

[...]

Depois do intervalo, enquanto algumas classes tinham a aula de educação física, as líderes de torcida, se preparavam para treinar a coreografia de hoje na quadra interna.
- Senhoritas, eu quero todas sentadas na quadra em 5 minutos! – a treinadora Cross, alertou passando dentro do vestiário feminino rapidamente.
Ela era uma mulher de presença. Casada há cinco anos, com um filho de quatro anos, 36 anos nas costas e faculdades caríssimas de educação física e suas especializações diversas no currículo, ela, Jane Cross, era a melhor treinadora da região. Já nos levou a uma Nacional e graciosamente temos nossos troféus no corredor, sobre a proteção de um vidro blindado, entre os diversos prêmios da escola Saint Lawrence James High School.
Ajustei meu cabelo e busquei pelos meus pompons, assim sendo uma das primeiras a ir para a quadra. Sentei-me no terceiro degrau da arquibancada, sendo acompanhada por mais algumas garotas que conversavam animadamente comigo. Logo, a treinadora chegou acompanhada de mais algumas garotas que corriam para pegar seus lugares à frente.
- Estão todas aqui? – ela questionou, no seu tom autoritário de sempre.
Ela estava com short esportivo vermelho e uma regata branca com listras laterais vermelhas, combinando com nosso uniforme de torcida. Ela mantinha seus cabelos castanhos ondulados presos em um rabo-de-cavalo e o apito pendurado no pescoço.
- Sim – responderam todas imediatamente.
- Menos a Brittany – Amanda se manifestou, todas comentaram rapidamente iniciando o burburinho de vozes falando juntas, Jane apitou até que todas se calassem.
- Silêncio! – pediu.
- Eu vim anunciar exatamente sobre o sumiço repentino dela.
Brittany era a capitã substituiu Lauren, assim que ela se formou e deixou as líderes de torcida para ir diretamente para a melhor faculdade de jornalismo alemã, tudo que ela queria, assim deixando o clã das patricinhas alemãs, entrando para o real mundo de estudos. Brittany era a cópia fiel de Lauren.
- Bom, ela sofreu um grave acidente e está em coma – dito isso, Jane chocou as garotas que nem sequer sabia de nada, isso por que mais que a metade ali se dizia melhor amiga dela – O acidente fora no sábado, mas só ontem enviaram o aviso para escola e hoje precisamos urgentemente de uma capitã. Como eu decido, vim anunciar a vocês que a nova capitã será temporária até sabermos como Brittany ficará, mas saibam que, quando Brittany voltar e se voltar as cheerios, ela será a capitã novamente. Se não, eu farei uma nova escolha para o campeonato do ano que vem.
- E quem será? – uma das garotas questionou.
- Megan, será a Megan Castillo – a treinadora falou. Saltei do lado das garotas, mas o quê? Eu nunca sonhei com isto e... Aconteceu!
- Eu? Por quê?
- Você é uma ótima garota e está empenhada no quesito torcida, venha, pegue a sua faixa! – Jane chamou.
Eu me levantei da arquibancada num salto, a ansiedade me corroia por dentro. O sorriso não saia dos meus lábios, eu sentia que ia explodir de tanta felicidade, meu coração batia forte, eu ia tocar na faixa de capitã! Desde que entrei para as líderes, eu nunca pensei que teria a honra de por aquela faixa com o C no meu braço. E mesmo que temporária, eu estaria na liderança! E quem não deseja estar?
Sob os olhares cruéis e até aqueles de compaixão que compartilhavam a minha felicidade, a treinadora colocava a faixa no meu braço. Eu sorri para ela e a abracei feliz.
- Como nova capitã, Megan qual é a sua primeira ordem?
- Para sermos as melhores e mostramos para as garotas do Thereza¹, vamos treinar? – propus, as garotas levantaram sacudindo seus pompons e fomos treinar.

(Tom)


Kate insistiu que fossemos até a quadra antes do jogo para vermos Megan treinar, eu fui vencido por ela, quando ela disse que mais tarde me daria uma recompensa.
Eu não queria ir. Só iria à hora do jogo para ver meus companheiros jogar e olhe lá, por mim, eu iria para casa dormir. Todas as líderes de torcida juntas, dançando em uma linda coreografia bem organizada, postas em seus uniformes vermelhos e curtos... Aquilo sim me excitava completamente, mas bem, ver e desejar mentalmente todas elas não é traição, então eu me rendi.
Sentamos no fundo, observando as garotas animarem o pequeno público que já se instalava ali. O sol estava ainda brilhando, o dia seguia quente e animado, e no fundo, eu admito que parte da minha resistência ao aceitar ver as líderes de torcida dançando, é para ver como a Megan dança bem em meio as garotas, ela e aquele olhar poderoso dela. E se eu me arrependo das coisas que eu fiz? Sim.
- KATE! – Megan gritou, acenando – Olha! – ela apontou para uma faixa em seu braço.
- MEU DEUS! – Kate gritou, enquanto descia a arquibancada para abraçar Megan, e até agora, eu não entendi o porquê daquela reação comemorativa toda.
Depois Kate voltou alegre com um sorriso de orelha a orelha, ela me abraçou forte e eu a beijei. Logo, os ensaios recomeçaram, após a interrupção desnecessária em meio a gritos da Kate e Megan juntas, se abraçando, o que confesso, fiquei um pouco aceso.
Megan parecia feliz e pelo visto, estava como capitã, deduzi pela liderança que ela tomava a frente das garotas e pela faixa no seu braço. A coreografia era bonita e bem alegre. Megan dançava com todo seu esplendor, seu corpo adequava-se com o uniforme, destacando suas belas pernas.
Eu a desejava ao meu lado. Assim como Kate está, me abraçando e me chamando de amor, tendo todas as liberdades que uma namorada tem. Eu nunca traí Kate, mas em meus pensamentos, Megan domina cada um deles. Eu tenho um carinho especial por Kate, eu a acho incrível e a desejo, mas não é ela por quem eu estou verdadeiramente apaixonado.
Faz um ano que estamos nisso, eu tenho que tomar alguma atitude!

_____________________________________

¹ - Thereza Penzler High School, escola fictícia de onde outras garotas cheerios irão torcer pelo time adversário do time de futebol americano da escola em que Megan e os outros estudam.

O que vocês acham desse amor todo? E o sobre o Tom?
Até sábado, meninas.

Anne buchecha
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://in-dienacht.tumblr.com/
kiinha kaulitz
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 2401
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 30/05/2009

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Amigos

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qua Nov 14, 2012 10:50 am

que canalha esse Tom hein kkkk
Bill sempre um lindo,que vontade de entrar nessa fic U_U

adorei, continua!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Missy Bardot
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1011
Idade : 24
Localização : Santa Catarina
Data de inscrição : 19/06/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qua Nov 14, 2012 11:30 am

Bill é tipo...namorado perfeito haha ela teve sorte.
Tom verdadeiramente apaixonado...que medo Suspect mas é um babaca,agora que a Megan tá se dando bem com seu irmão tu quer furar o olho dele...É isso mesmo produção?

Flor,amando sua fic continuaaa study
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ilana
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3843
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 01/02/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qua Nov 14, 2012 7:39 pm

Oh God

O Tom era apaixonado pela Megan, mas só veio se dar conta que precisava dela um ano depois, quando ela esta namorando com o IRMÃO DELE?
Ahhhhhh Mas ele esta pedindo para ser apedrejado, idiota u.u
Só espero que a Meg não deixe o Bill depois que ficar a par dos sentimentos do Tom...
Mas teve uma coisa que eu admirei no Kaulitz mais velho, ele nunca traiu a Kate, ao menos ganhou ponto nisso...

Enfim, prossiga :33
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://eternitytokiohotel.tumblr.com/
Laíse
Iniciante


Número de Mensagens : 10
Idade : 17
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 17/10/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Ter Nov 20, 2012 4:10 pm

To desconfiada do Bill ele tá perfeito de mais, mesmo sendo
ele sinto que ele tem algum segredo .Bom enfim eu e meus pensamentos aqui Rolling Eyes ---CONTINUA---


:*-*:
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://swanepoelcandy.tumblr.com/
Anne Lander
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 339
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 19/12/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Orkut

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qui Dez 06, 2012 9:56 pm

Olá!
Voltei!
Obrigado pelos comentários e espero que ainda tenha gente interessada em continuar lendo. Eu tive alguns probleminahs (TCC) e agora já passou, amanhã faz uma semana que eu apresentei e ufa, nem parece que passou. Enfim, agora teremos uma postagem regular até que os capítulos prontos cessem e cheguem onde eu travei. Sim, eu travei. Mas pensem, quem fez ou vai fazer TCC sabe como é a pressão e por mais que passou, a pressão ficou. E fora que eu sofri alguns conflitos de "amizade" e ainda custo a recuperar, sou meio levada pelas emoções, muito intensa, entendem? Mas logo passa, passei por isso ano passado e continuei escrevendo lindamente. Então, eu só preciso descansar a mente por alguns dias, mas logo volto. Mas deixo um capítulo gatíssimo para vocês lerem!

_________________________________________



Capítulo 8 – I love you enough to let you go.
(Eu te amo o suficiente para deixá-lo ir).



Casa da família Strauss¹, 16 de agosto de 2009.
Às 3h50min.

Por um segundo, fora, como se eu tivesse sentido meu coração parar e logo voltar a bater desesperadamente rápido diante do nome proferido.
Senti minhas bochechas queimarem, ou seja, elas estavam rubras. Abaixei a cabeça na hora, sentindo zonza e também para encobrir a minha vergonha ou irritação, eu ainda não sei qual das duas coisas eu me sentia agora. Senti o olhar de Kate sobre mim, provavelmente preocupada com a minha reação diante daquilo, e logo sua mão tocou meus ombros, e, em seguida, ela questionou se eu estava me sentindo bem, eu apenas assenti que sim e dei uma tossida para disfarçar, claro, que por dentro eu estava em prantos.
Para tirar-me desse momento de tensão, o celular de Kate vibrou no criado-mudo ao lado da cama, ela erguera-se rapidamente. Com um sorriso nos lábios, eu a vi abrir um enorme sorriso e pular para a cama novamente sem derrubar o celular, com incrível equilíbrio.
- Olhe! – ela praticamente jogou o celular em cima de mim, como eu estava com o edredom cobrindo até meus ombros, tive que tirar minhas mãos de debaixo do edredom quentinho, para apanhar o frio aparelho de celular.
Eu o peguei e vi uma mensagem que ela havia recebido, a mensagem dizia o seguinte:

Oficialmente, você quer ser a minha namorada?
Amanhã te pego para almoçar, se sim.
Tom.

Ah, então eu só servi de um motivo principal para ele decidir entre Kate e qualquer outra garota que ele tenha se divertido por algumas horas antes dele enviar essa mensagem a ela? Isso, claro, se ele não tiver encontrado outra garota nesse meio-tempo em que eu me despedi dele com a esperança de ter encontrado alguém legal.
Foi ali que o pequeno sentimento de ódio que eu já sentia, quando eu ouvi seu nome proferido pela boca de minha amiga daquela forma e naquelas circunstâncias, nascera. Eu me diverti muito com ele e o agradeço por isto, por ter salvado a minha noite que poderia ter sido extremamente entediante, ele poderia ter simplesmente me contado que ele era parcialmente comprometido com alguém. Claro que ele não era adivinho para saber que eu sou amiga de Kate, mas de certa forma ele me usou, se divertiu o suficiente, tendo em vista que eu não abri as pernas para ele como Kate provavelmente fez, e a escolheu como seu prêmio final.
- Então ele quer oficializar mesmo? – questionei mais surpresa que eu parecia estar e feliz por ela que eu pude fingir.
- Pelo visto sim, ah vou responder ele agora! – ela respondeu-me extremamente animada com o pedido – Sim, claro que eu aceito! – ela falou como se estivesse falando pessoalmente com ele, com os olhos vidrados no celular e o sorriso esticado em seus lábios.
Dei de ombros, o que eu poderia fazer? Contar a verdade? Eu não ia estragar a felicidade da minha amiga, tirar esse sorriso de felicidade dos lábios dela, dessa forma, isso seria cruel da minha parte. Foi só um caso a parte, agora, ele está oficialmente com ela, e eles têm de tudo para serem felizes, inveja? Eu ia sentir um pouco, mas logo se dissiparia, afinal, eu o conheci hoje, aquele encontro rápido, não teve nem tempo de evoluir para algo maior.
- E você ainda vai continuar saindo com esse rapaz que você conheceu... Hm... – ela parou para fitar o visor do celular, provavelmente, vendo as horas - Er, ontem? – ela questionou curiosa, fazendo meu coração que já estava com os batimentos normalizados, voltar a bater mais rápido ao fazer eu me lembrar dele e das coisas que eu estava tentando esquecer a poucos segundos.
Como dizer a ela, que o mesmo rapaz que ela diz amar e está em um relacionamento, agora sério, acabou de ter uma maravilhosa noite com a melhor amiga dela? E agora o que eu devo fazer? Manter firme a ideia de que, ela nunca saberá disso?
- Talvez, não mais – eu respondi, erguendo o rosto, passando as mãos pelos meus cabelos.
- Por quê? – imediatamente, ela questionou surpresa com a minha resposta.
- Ele não é para mim, Kate – respondi, torcendo os lábios demonstrando total desapontamento com tal notícia.
- Não me diga que você ainda continua apaixonada pelo Georg? – ela questionou, me surpreendendo com a pergunta, vi seus olhos abrirem com total curiosidade num misto de surpresa.
De certa forma, essa pergunta, remexia em algo não tão distante na minha vida, mas uma parte boa, aliás, uma parte feliz da minha vida.
- Hm... É... Hm... – tentei respondê-la, mas no fundo, eu gostava muito de Georg, e poderia usá-lo para fazê-la se esquecer de que essa noite eu tive alguém que me fez sorrir e sentir-me bem e no final me apunhalou silenciosamente.
- Sim, sim, sim! Você continua apaixonada por ele! – ela insistiu, abrindo o sorriso de felicidade novamente, batendo palmas como uma criança que acaba de receber a mais deliciosa sobremesa.
- É... Eu continuo – assumi falsamente, contradizendo a mim mesma.
- Vocês deveriam tentar novamente! Vocês dois formavam um belo casal, ele foi seu primeiro... Ele te conhece melhor do que ninguém. Melhor do que se jogar em um desconhecido qualquer que provavelmente amanhã estará com outra!
Como ela sabe? Ri da minha piadinha interna.
- Verdade... Ele é tudo pra mim, mas será que ela ainda sente algo?
- O jeito que ele olha para você, define o que eu disse Megan – respondeu ela, entrelaçando as duas mãos e pondo ao lado do rosto, inclinando o mesmo para o lado, de um jeitinho meigo.
- Boba! – eu falei, sorrindo. Não consigo esconder o sorriso ao lembrar-me de quem foi e de quem é Georg em minha vida, e talvez, nós poderíamos tentar novamente, aquele namoro que não havia dado certo, pela distância.
- Sabia que Georg e Tom, são amigos? – ela comentou, brincando com a capinha do celular, que claro, era cor-de-rosa.
Se Kate lesse meus pensamentos, ela veria todos os tipos de palavrão que eu proferi a tal comentário.
- Ah é? – eu questionei demonstrando surpresa, mas claro, que eu estava bem surpresa.
- Eles tinham uma banda, mas não deu muito certo, porque a mãe do Tom, a dona Simone, queria que ele terminasse os estudos antes de abandonar tudo pela música. Era uma ótima banda, viu. E não só ele, como o irmão dele também – ela finalizou bocejando, demonstrando estar bem cansada.
- É uma ótima história que eu adoraria ouvir depois, agora eu estou morrendo de sono – bocejei também.
- Boa noite, Meg – ela falou, colocando o celular no criado-mudo novamente e se deitando ao meu lado.
- Boa noite, Kate – falei, esticando o braço para desligar o abajur.
E os abajures foram apagados e os olhos fechados para cair em mais um sono profundo repleto de sonhos.

[...]

O dia seguinte ao domingo era sempre uma tortura física e psicológica para qualquer adolescente que somente desejava continuar dormindo até tarde, como fez durante o sábado e o domingo, e passar o restante do dia sem se preocupar com qualquer tipo de tarefas ou pesquisas de matérias que nem iam utilizar no futuro em quaisquer profissões, talvez uma ou outra.
O dia amanheceu como todos, fazendo muito frio e consequentemente, me deixando preguiçosa, com extrema vontade de permanecer a cama, debaixo dos meus edredons.
Kate havia ido embora pela manhã de domingo, para ir almoçar com Tom e assim assumirem o namoro para a família dele. Que de acordo com a SMS que ela me enviou pela tarde, eles haviam adorado-a. Claro, que eu senti uma ponta de inveja ao ouvir isto, mas ela merece.
Tomei meu café da manhã reforçado, feito especialmente pelas mãos habilidosas da minha querida avó e subi rapidamente para vestir meu uniforme de cheerleader, arrumar meu cabelo e correr para não me atrasar e fui pegar carona com meu avô para a escola como todos os dias.
Eu estranhei pelo fato de Kate, não estar no portão a minha espera, como todos os dias, então eu logo deduzi que ela estava com o Tom em algum canto da escola ou provavelmente vindo com ele naquela moto fajuta. Dei de ombros ao lembrar que aquele elogio à moto não se passava de ciúmes com uma pontada de inveja e me despedi rapidamente de meu avô, correndo entre os corredores da escola, já faltavam apenas poucos minutos para bater o sinal do inicio das aulas, e eu precisava apanhar os livros de biologia sobre sistemas do corpo de dentro do meu armário.
Assim, que eu fechei meu armário e eu me virei para continuar caminhando em direção a minha sala, eu ouvi meu nome ser proferido pelos meus amigos, seguindo de gargalhadas e muitos sorrisos, que viraram a esquina de corredores, acenando para mim. Eu sorri, acenando de volta para eles. Mas logo, meu sorriso sumiu, quando eu vi que atrás deles, seguia o casal recém-formado da escola, que parecia tomar todas as atenções também.
Tentei disfarçar meu espanto momentâneo, sorrindo falsamente para meus amigos que logo vieram me abraçar.
- Megan, Tom, Tom, Megan – Kate nos apresentou rapidamente, o cumprimentei falsamente com um abraço receptivo, mas claro que por dentro e pelos nossos olhares, eu adoraria enforcá-lo e matá-lo.
Eu sabia que esse momento ia chegar, eu só não sabia que ia ser tão difícil de encarar. Até sabia, mas omitia a mim mesma, dizendo que eu era forte o suficiente e que eu ia aguentar por mais três anos, só três anos. Até lá, Kate já vai ter enjoado dele e ele já vai ter sumido por ai com outra garota, isso se ele não a trair, mas ah se isso acontecer, eu não medirei esforços para sim, matá-lo.
Ele continuava com as faixas nos braços e com o perfume delicioso que ele estava usando no dia em que nos encontramos. Mas que droga, por que ele é tão perfeito?
Nós nos despedimos rapidamente, e cada um seguiu para a sua sala. Emma, que era uma das garotas que estavam no meu grupo de amigos, me seguira até a sala. Ela é uma pessoa incrível, carinhosa e muito, mas muito bonita com seus cabelos loiros e seu sorriso cativante. Seu sonho era morar em Paris com um francês bonito e rico, e tornar-se modelo ou estilista, bom, bons planos que com certeza, com esse jeitinho único dela, ela irá conquistar.
- Garota, o que foi aquilo? – ela questionou, num tom surpreso, me surpreendendo e me confundindo também.
- Aquilo, o quê? – respondi com outra pergunta, um pouco confusa.
- Aquele olhar do Tom sob você e, aliás, o olhar dos dois. Vocês já se conheciam antes? – curiosa, ela questionou.
- Nã-não! – eu respondi, tossindo, devido ao meu engasgo inicial para negar tal fato - Claro que não! – continuei o mais correta que consegui fingir.
- Calma, Megan, não precisa ficar tão nervosa! – ela falou. Droga era só o que eu precisava agora, uma pessoa desconfiando de mim e querendo recolher informações, que eu não diria a ninguém.
- Eu não estou nervosa! – dei de ombros, ao entrar na sala.
- Hm – ela expressou depois de um suspiro, um claro sinal de que ela não havia se contentado com as respostas que eu dei – Então, ele se sentiu extremamente atraído por você, por que até ele seguir com Kate, ele não parava de olhar para você!
- Vamos mudar de assunto, Emma? – perguntei, assim que eu sentei - Você fez a pesquisa de história? Eu preciso copiar de alguém! – mudei de assunto, senão, ela ia sondar até conseguir algo de mim, que eu não contaria para ninguém em circunstância alguma.
Então, ela finalmente sossegou.

[...]

Como nem Emma havia feito à pesquisa de história, eu fui à biblioteca, assim que o treino acabou para fazer a tal pesquisa.
- Megan – eu ouvi meu nome ser chamado por um sussurro, mas momentaneamente eu pensei ser algo da minha cabeça – Megan – sussurrou novamente, seguido de uma presença. Assustada, eu me virei, dando de cara com Tom, ele estava atrás da minha cadeira.
- O que você está fazendo aqui? – perguntei num tom mais baixo, em respeito ao fato de estarmos em uma biblioteca com dezenas de pessoas estudando e lendo livros.
- Eu preciso falar com você – ele respondeu, demonstrando estar visivelmente preocupado.
- Mas eu não tenho nada a falar com você, Tom – me virei, continuando a fazer a minha pesquisa.
- Claro que precisa, sobre sábado, er... – eu o interrompi antes que ele continuidade a dizer às baboseiras que eu não queria ouvir.
- Não, não e não! – falei mantendo o tom de voz baixo, sem dar atenção a ele.
- No intervalo, eu estarei te esperando! – ele deu o veredicto final, saindo da biblioteca.
Observei-o deixar o local, dei de ombros. O que ele teria para me explicar?

[...]

Assim que eu saio da biblioteca, eu sinto um braço forte me puxar, eu já sabia que era ele e não tentei relutar, só iria criar mais escândalos, nos quais eu estava evitando, se eu fosse seguir a minha consciência, eu estaria aos berros no corredor, gritando para que ele me soltasse o mais rápido possível. O corredor estava vazio, devido ao intervalo, já que todos provavelmente já estavam no refeitório e nos pátios se alimentando e se divertindo com seus colegas, e ninguém podia nos ver.
Entramos numa sala vazia e destrancada. As cadeiras brancas junto das mesas estavam perfeitamente alinhadas em seis fileiras, havia uma lousa, extremamente apagada, a mesa do professor alinhada e vazia. Parece ser uma sala fora do comum nessa escola, já que todas eram bagunçadas e com as mesas rabiscadas por alunos entediados e as lousas com aulas ainda escritas.
Ele fechou a porta atrás de si e me fitou. Seus olhos estavam carregados de uma emoção que eu não conseguia descrever, talvez ele estivesse tão confuso quanto eu, mas se nosso romance foi de um dia só, por que nós estamos levando isso tão a sério? Por que eu me sinto magoada? Talvez, usada define o que eu estou sentindo, se existir uma palavra que defina.
Caminhei em direção à mesa, me apoiando na mesma, antes de dar inicio a discussão.
- Então, o que o Senhor Tom, tem a falar para mim de tão importante? Desembucha – incentivei-o de uma forma negativa, expulsando toda a minha irritação diante daquela posição na qual nos encontrávamos, mas ele parecia formular as palavras e elas simplesmente não saiam aquilo estava me irritando profundamente – Eu não tenho o tempo todo do mundo, se você quer saber.
- Droga, como eu ia adivinhar que você era amiga da Kate? – ele questionou, caminhando em minha direção.
- Por que você não me disse logo que estava em um namoro com alguém? Mesmo que essa porcaria fosse um relacionamento aberto! Você achava que eu era vadia para ficar com você e simplesmente não me esquecer da noite que tivemos? Ainda bem que eu não abri as pernas para você, seu... Seu... Seu imbecil! – procurei as melhores formas para ofendê-lo.
- Ei, ei, ei! Não fale de mim assim, Megan! – defendeu-se – Você não sabe o quanto foi difícil para eu fazer essa escolha – ele falou com tristeza em sua voz, mas eu o interrompi.
- Ah, então eu fiz parte da escolha? Ah que emocionante – levei a mão ao peito fazendo cara de dramática - Era eu, Kate e mais quantas? – provoquei, dando um sorriso sarcástico, eu já estava no limite, e estando sós, somente nós dois, eu poderia por tudo para fora das coisas que eu aguentei até hoje.
- Era a escolha entre te conhecer melhor e assumir a Kate como minha namorada. Megan, eu realmente gostei de você desde a primeira vez que eu te vi. Você cuidou de mim desde quando nos vimos até quando eu te deixei em frente a sua casa, se eu soubesse, eu teria deixado tudo para trás só para ficar com você. Mas você não sabe o quanto é difícil – eu o interrompi novamente em seus dizeres dramáticos.
- O que é tão difícil Tom?!
- Ser excluído! Caramba, é tão visível que você se dá bem com todo mundo, é linda, é simpática e é líder de torcida, tem seu próprio status. Enquanto eu só queria ter amigos, sabe? Eu tive um começo escolar difícil desde sempre, por eu ser quem eu sou. Aliás, eu e meu irmão, sempre sofremos. E dizem que o ensino médio é uma selva, pois é, e é mesmo. Quando eu entrei aqui e vi toda essa gente me olhando como se estivesse sujo e fugindo de mim como se eu estivesse fedido, foi difícil. Minha vida estava perfeita fora daqui, eu ia ter a minha banda, ia fazer sucesso, mas droga, estudos obrigatórios e o fato de eu não ser maior e mandar em mim mesmo, me impediram de me livrar dessas coisas idiotas e...
- E?
- E que eu tinha que escolher, que lado eu ficaria. Conheci Kate e o que eu sentia por ela, era totalmente recíproco, eu adorava estar com ela. Mas ao mesmo tempo, eu queria aproveitar a vida, eu queria estar com outras pessoas e logo veio outras garotas, e a proposta dela de manter esse relacionamento aberto foi tentador e tudo começou me parecer muito bem... Mas eu ainda não tinha um lugar fixo. Eu ainda rondava sozinho pelos corredores, até aparecer você; e droga, até então eu já tinha decido que eu ia ficar com Kate, que eu ia assumir o compromisso de estar e manter fiel a ela. Eu até podia engolir um namoro por um tempo e faria amizades com as amizades dela e de alguma forma, eu ganharia respeito... E alguns amigos – ele finalizou, suspirando, eu dei continuidade.
- Se você tivesse escolhido a mim, você estaria num patamar maior, namorando uma líder de torcida – dei de ombros, dando meu melhor sorriso sarcástico – Mas fique com Kate, ela é perfeita. Ela é uma irmã para mim, e você é tudo para ela, ela só fala de você desde que você a pediu em namoro. Original hein? Usando SMS – ele sorriu tímido – Mas a vida continua e você já se explicou para mim e eu te entendi. Agora eu só quero que você a faça feliz, senão eu te corto no meio! Ou sendo mais sincera e direta, eu te CAPO! – ameacei-o, apontando o dedo em seu nariz, já que durante as explicações ele fora se aproximando de mim.
Ele sorriu, amansando-me. O sorriso dele era incrivelmente bonito parecia vários diamantes unidos. Ele fechou a distância, puxando-me contra ele, com as mãos em minha cintura. Desesperei-me imediatamente. Meu coração batia rapidamente, como se o mundo fosse acabar em menos de 5 segundos. Ele vai me beijar, ele vai me beijar.
Espalmei as mãos em seu peito, na intenção de afastá-lo de mim, mas já era tarde demais. Os seus lábios havia cobertos os meus pelos dele, num maravilhoso beijo, assim como o primeiro. Tentei me afastar uma, duas, três vezes, mas ele era mais forte, a vontade de continuar aquilo era mais forte.
Deslizei as mãos de seu peito para seus ombros, sentindo o ardor da sua pele sob o tecido da camiseta estampada cinza que ele vestia. Eu tenho certeza, que desse dia, eu nunca vou me esquecer. De cada palavra dita e do beijo finalizando o que mal havia começo, o nós.
Ele quebrou o beijo delicadamente. Com os lábios entreabertos juntos aos meus, ele me encarou docemente. Seus lábios se torceram em um sorriso, então a voz dele se fez presente em uma promessa.
- Megan, você ainda vai ser minha. Vai ser a melhor coisa da minha vida, vai ser a minha namorada, a minha amante e a minha melhor amiga, eu prometo.
E saiu, olhando para trás, enquanto eu mordia o lábio, aguardando que meus pensamentos voltassem ao normal.

¹ - Strauss é o sobrenome dos avós e do pai de Megan, ela carrega apenas o sobrenome da mãe, que é Castillo.


_________________________________________


Notas: Gostaram? Então, é esse o motivo do Tom. Ele merece apanhar não é?

Ah, quem aqui tem fanfiction aqui postada e de preferência em andamento? Adoraria ler!
E outra, tem twitter? Eu fiz um para postar qualquer informação sobre as minhas fanfictions, só seguir @annelanderff, sigo de volta!

Beijinhos.

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://in-dienacht.tumblr.com/
Laíse
Iniciante


Número de Mensagens : 10
Idade : 17
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 17/10/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Dom Dez 09, 2012 3:37 pm

Evil or Very Mad Que feio Tom bravo -----mais mais e mais---- cha
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://swanepoelcandy.tumblr.com/
Cami
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 535
Localização : RS
Data de inscrição : 12/10/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Outro

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Dom Dez 09, 2012 6:25 pm

Laíse escreveu:
Evil or Very Mad Que feio Tom bravo -----mais mais e mais---- cha
O Tom ta merecendo apanhar Twisted Evil
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ilana
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3843
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 01/02/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Seg Dez 10, 2012 3:24 pm

Isso foi tipo, um flashback?
Oi sou lerda kkkkkkkk
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://eternitytokiohotel.tumblr.com/
Anne Lander
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 339
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 19/12/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Orkut

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Ter Dez 11, 2012 12:23 pm

Olá! king

Muito obrigado pelos comentários, pensei que com a demora, vocês se esqueceriam de mim, pois bem, vamos continuar?

Sim Ilana, foi um flashback, eu esqueci de avisar, desculpa-me!

Enfatizando, quando houver os dados como "Casa dos Kaulitz, etc, etc" é flashback, quando não tiver, é o tempo decorrido da história e esses dados mais precisos estarão dentro do capítulo.

Boa leitura study

_______________________________________



Capítulo 9 – You make me feel like I’m living a teenage dream.
(Você me faz sentir como se eu estivesse vivendo um sonho adolescente).


Incrivelmente, duas semanas haviam se passado desde que eu havia conhecido Bill. E foi nesse momento, que eu parei para pensar o quanto o tempo está passando rápido, mas o que importa? Se fosse há alguns dias atrás, eu estaria me martirizando, achando que o tempo se arrastava cada vez mais e que eu já não tinha esperanças de conhecer alguém legal como o Bill e estaria tendo momentos especiais ao lado dele.
Nessas duas semanas, nós nos encontramos algumas vezes, nos finais de semana, e andamos de mãos dadas na escola, durante as aulas e ele sempre ia me assistir nos treinos, principalmente agora que eu sou a capitã, mesmo que temporária.
Eu desfilava na escola como se ele fosse meu prêmio, mantendo um sorriso e trocando beijos delicados em seus lábios. E ele é meu prêmio. Meu prêmio por suportar um amor pelo namorado da minha melhor amiga por tanto tempo sem dizer nada, sem manifestar minha dor. Criando esperanças sobre uma promessa que no momento em que ela fora feita, carregava tanta firmeza em suas palavras, que por dias, eu cheguei a acreditar que ela ia se concretizar em breve, mesmo sem pensar nas consequências que poderiam vir a seguir, depois que a promessa fosse cumprida.
Sofrer em silêncio pode parecer tão pior do que todos sabendo da sua dor, por mais insignificante que ela seja. Se eu contasse para a minha avó, ela iria me olhar com piedade todos os dias que eu chegasse mais cabisbaixa em casa, querendo colo e brigadeiro. Se eu contasse ao meu avô, ele iria tirar a fachada séria que ele ostenta, e iria ter uma conversinha séria com Tom e seu padrasto, principalmente que meu avô é da época do namoro com permissão e observação, ele sempre me alertou que se houvesse alguém, eu teria que avisar imediatamente. E eu o compreendo, afinal eu sou como uma filha para ele. Se eu contasse para minha mãe ou meu pai, ambos iriam escandalizar e forçar Tom a contar a verdade para todos e tudo viraria um tremendo escândalo e exatamente a mesma coisa com meus amigos, e escândalos é o que eu mais quero evitar agora, e então era melhor eu guardar aquilo para mim mesma e quem sabe aquilo um dia se concretizasse?
Dias depois que eu conversei com ele, eu repensei na ideia de conversar com Georg sobre nós, e foi ali que eu percebi que eu nunca teria sorte com o amor mesmo, por que ele estava namorando uma garota chamada Ellie, ela era incrivelmente linda, aspirante à modelo de passarela, adorava literatura clássica e tinha a voz mais linda que eu já ouvi. Eu senti uma pontada de ciúmes quando eu os vi juntos, mas eu aceitei-a como namorada dele.
Mas é claro aquele relacionamento dos dois não durou muito tempo. Ela se preocupava mais com a imagem que ela mantinha e com os trabalhos de modelo que ela fazia quase todo santo dia, que Georg, que no começo, sempre ia prestigiar o trabalho dela, não aguentou mais tudo aquilo e terminou com ela. Ele passou dias na minha casa, ficou decepcionado e até chorava, ele realmente gostava dela. O que alimentava a minha raiva sobre aquela garota que me fez perder a única chance que eu tinha de estar com Georg, que desde o começo, cuidou de mim e que poderia ser o homem da minha vida.
Na mesma noite, nós ficamos, mas aquilo não se passou daquele dia. De duas pessoas carentes pondo a amizade à prova. Mas ele, Bill, apareceu e mudou a minha vida em pouco menos de um mês, mas mudou para melhor, me mostrou que, era cedo para eu pensar em amor e que eu não tinha sorte para o mesmo, e que talvez, ele seja o homem da minha vida.
E nessas duas incríveis semanas que se passaram, Bill e eu criamos uma rotina para nós dois, somente nós, assim passarmos mais tempo juntos, fora da rotina escolar. Mesmo eu tendo que ajudá-lo em algumas matérias que ele, se não se esforçar mais, pode ficar para recuperação e assim enfrentar duras aulas intensivas e provas para que aquilo não suje seu boletim no final do ano. E bem, as rotinas funcionaram muito bem até agora e nos divertimos muito juntos, temos muitas coisas em comum e a conversa flui bem.
Aos sábados, ele, com toda a permissão dos meus avós, vêm para a minha casa, para ficarmos assistindo filmes e séries na televisão da sala, sendo aquecidos pela lareira cuidadosamente acesa e um cobertor quentinho, enquanto comemos pipoca, brigadeiro e tomamos chocolate-quente tipicamente de inicio de outono, sempre frio.
Aos domingos, eu vou até a casa dele fazer a mesma coisa que ele faz na minha casa, mas os pais dele são mais, digamos, liberais, eles nem se importam com a minha presença, como no caso do Bill na minha casa, meus avós vigiavam-nos a cada hora. Bom, no primeiro domingo em que passamos juntos, nós dois dormirmos vendo Sr. & Sra. Smith, e isso por que o filme é realmente bom, e no domingo passado, fomos ver Georg no Empire, igual vamos fazer hoje.
Eu estou empolgada com tudo, Bill é meu sonho. Às vezes, eu acho que tudo está acontecendo rápido demais e tudo muito perfeito, eu tenho medo de que um dia isso acabe que ele se vá e me deixe na estaca zero de sempre, e se acabar, eu tenho certeza que eu vou desabar em lágrimas e custarei a me recuperar. A presença dele na minha vida era tamanha, que eu me acostumei a estar com ele, a ouvir a sua voz, a sua gargalhada gostosa, a sentir o seu cheiro e abraçá-lo e beijá-lo quando eu quiser. Ele sempre me diz que eu estou bonita, até quando eu estou sem maquiagem alguma e de pijama, ele ri comigo mesmo que a piada nem tenha tanta graça assim, ele é a minha alma-gêmea.
Passava-se das 16h quando eu terminei de me arrumar à frente do espelho, e ele chegara para me buscar com Tom e Kate, em carros separados, já que depois dali só Deus sabe o que Tom e Kate vão fazer, é melhor prevenir. Ele me elogiou como sempre, beijou-me e despedimos dos meus avós, que alertaram que eu não poderia chegar muito tarde por que teria aula cedo no dia seguinte, eu sorri e prometi que chegaria o mais cedo possível.
E assim, eu entrei no carro, cumprimentando-o com um beijo suave, vendo-o sorrir abertamente, em seguida. A minha preferida começou a tocar na rádio que ele deixara ligada, era Teenage Dream, da Katy Perry, e incrivelmente, a letra da música, encaixava-se com o contexto da nossa história. Ele apareceu na minha vida, quando as coisas estavam meio difíceis, quando eu não conseguia tirar o irmão dele da minha mente, daquele relacionamento sem futuro, das promessas vazias e ele simplesmente chegou, com seu jeitinho Bill de ser, ele era muito meu, e eu estou sentimento que aquilo um dia pode se passar de uma paixão e evoluir para um amor.
Mas agora, nós estamos aqui, sem remorsos, apenas amor.

Let's go all the way tonight,
No regrets, just Love.
We can dance until we die,
you and I, we'll be young forever.

Teenage Dream – Katy Perry.

Durante o meio percurso, Bill deixou o rádio ligado, e assim, nós dois cantávamos e ficávamos fazendo algumas danças estranhas ao som das músicas que tocavam livremente através da rádio. Algumas músicas eram conhecidas e outras completamente desconhecidas, e mesmo assim, nos distraiam e arrancavam sorrisos de nós. Entre um semáforo e outro, eu me permitia brincar com seus cabelos e beijá-lo apaixonadamente.
O caminho durou o tempo habitual, bom, pelo menos até faltar pouca estrada para se seguir até o Empire, quando começou a chover forte. Imediatamente, eu liguei para Kate, o que dera ocupado, então eu apanhei o celular do Bill e tentei ligar para o Tom, perguntando que eles iam fazer já que eles estavam bem a nossa frente, e, a chuva estava muito forte o que claramente havia acabado com o nosso programinha de fim de domingo.
- Falta meia estrada, nós vamos continuar, quando chegarmos, ficamos dentro do carro até a chuva passar, senão, vamos ficar na casa do Georg, Kate ligou para ele. Continuem seguindo.
E foi exatamente isso que ele me respondeu e logo desligou, pelo visto Kate estava se comunicando com Georg e posso presumir que logo ela precisava ligar ou atender as ligações da sua mãe, acalmando-a que provavelmente ligaria incessantemente para ela, preocupada e provavelmente ela ligaria para mim também para confirmar, mas da mãe dela, eu já a conheço e sei o quanto ela é superprotetora com sua querida filha, Kate é uma excelente filha.
Apreensivos, pois a chuva estava muito forte, nós continuamos a seguir com o caminho, e logo, com segurança nós rapidamente chegamos ao Empire. Ficamos parados no estacionamento, o silêncio predominou já que depois da ligação e da chuva despencar do céu Bill havia desligado o rádio. Vimos Tom estacionou o carro em uma vaga distante, já que as outras já estavam ocupadas, assim nos separando de alguma forma. Por uma entreolhada, vi Kate e Tom aos beijos e dei de ombros, claro que eles não perderiam tempo.
Tem certos dias que antes de eu me deitar, eu me questiono se eu superei o Tom, se eu já esqueci Tom completamente. Bom, eu posso até me contradizer, dizendo que eu o esqueci, mas isso não é verdade. Às vezes, eu me sentia enfiada em uma história de amor daquelas de livros que virariam filmes extremamente melosos que ao assistir teriam coma diabético, uma garota apaixonada por duas pessoas, dois irmãos e gêmeos ainda por cima! Por que de certa forma, eu ainda não esqueci totalmente Tom, foi um ano, um ano carregando essa merda de sentimento, mas eu ainda torço para que isso aconteça, para que eu o esqueça e que finalmente, Bill domine meu coração, assim como ele já disse que está acontecendo com ele.
Pulei no colo do Bill, apoiando minhas costas na porta do carro, espichando minhas pernas preguiçosamente pelo banco onde eu estava sentada anteriormente. Ele sorriu carinhoso, passando o braço esquerdo pela minha cintura, posicionando-a no local, enquanto a sua mão direita, acarinhava suavemente minhas pernas por cima da calça jeans que eu usava.
Ele abaixou para depositar um beijo suave e rápido em meus lábios. Logo, eu vi-o esticar a mão direita para ligar o rádio novamente, uma música com uma batida suave cuja voz da cantora era num tom sensual e leve, criando um clima gostoso entre nós dois, invadira o carro miscigenando ao som das gotas de chuva batendo no chão e no carro, criando uma doce harmonia ali.
Rapidamente, ele acendeu um cigarro que estava dentro do bolso do seu jeans escuro, dando uma primeira tragada. Ele me fitou como se oferecesse o objeto, eu dei de ombros e tomei-o de suas mãos, dando uma primeira tragada desajeitada, já que eu nunca havia experimentando um, e ali fora a minha primeira vez, talvez eu tivesse medo de viciar, mas era um só e depois quem sabe. Depois da primeira tragada, eu gostei e quis continuar.
- Você vai ficar com esse? – ele questionou, apontando para o cigarro entre meus dedos.
- Se você não se importar – respondi calmamente.
Ele abrira os vidros do carro de modo a que as gotas da chuva não entrassem e nos molhasse a fim de que a fumaça liberada pelo cigarro não impregnasse no carro, já que o hábito de fumar do padrasto já o fez.
Ficamos dividindo o cigarro em meus dedos, enquanto trocávamos beijos e ouvíamos a música que permanecia tocando no rádio. O primeiro acabou, então, ele abrira mais o vidro do nosso lado para jogar o restante no chão, a água da chuva se encarregaria de apagar o cigarro.
Ficar naquela posição estava incomodando-me, então me levantei, sentando totalmente em seu colo. Ele me ajudou a ajeitar-me, após afrouxar o banco, a sentar-me de modo a jogar uma perna minha em cada lado das suas, apoiando meus joelhos no banco, tendo-o entre minhas pernas.
Eu acho que eu me entregaria fácil a ele. Ele é carinhoso e confiável e, sobretudo, eu sentia-me atraída por ele, faz algum tempo que eu não me relaciono sexualmente com alguém, aliás, a última vez fora com a mesma pessoa com quem eu fiz pela primeira vez. Eu não tenho nem com o que e com quem comparar minhas experiências, e por vezes, eu me sentia insegura.
Eu relaxei, sentando em minhas pernas e em seu colo, assistindo seu belo sorriso, era aquele tipo de sorriso vindo de uma pessoa única. Aquela pessoa que significava tudo em sua vida, só de dizer o nome. Passou-se poucos dias desde que eu o conheci, mas a cada olhar dele proferido a mim, já diz que ele vem ganhando espaço em minha vida e meu amor, que ficara guardado para uma pessoa só sem futuro algum.
Ele fechou a distância entre nós dois com um beijo, passando as mãos longas e quentes sobre minhas costas, fazendo com que eu pudesse sentir o calor de suas mãos em minha pele sob o tecido da camiseta que eu vestia. Passei minhas mãos sobre seus ombros, acarinhando vez ou outra, concentrada apenas em saborear do nosso beijo que assim como tudo entre nós, era único.
Sua mão descera mais, pousando entre minha cintura e meu quadril. Ele pausou o beijo, talvez esperando que eu o repreendesse por passar do limite, mas isso só era quando estávamos em minha casa, onde ali, meus avós repreender-nos-iam eternamente se nos visse assim, mas eu gostava de ter essa intimidade com ele, sem pressa.
Eu ri, quase gargalhando.
- Eu já te disse que você tem um sorriso lindo? – ele questionou, elevando uma mão até os meus cabelos.
- Não, mas obrigado senhor perfeição – respondi fazendo bico, brincando com os cabelos dele.
Peguei em sua mão esquerda, posicionando-a delicadamente abaixo do meu seio esquerdo, num sinal de que ele tinha total liberdade para tocar em mim, sem receio de que eu o repreendesse. Depois conversaríamos sobre sexo, já que tendo em vista de que nosso relacionamento poderá virar um namoro sólido igual do Tom e da Kate.
O próximo beijo veio devagar, apaixonado e tranquilo, assim como o nosso futuro juntos.

_______________________________________

Ficou fraco, mas era só para ressaltar a relação Bill/Megan. Mas se preparem que fortes emoções estão por vir!
Esse capítulo é um pouco do que poderá acontecer na continuação da fanfic, sim teremos um Teenager 2, por que a segunda parte eles ainda não se formaram e terá mais e mais confusões, a fanfic é até grandinha, pelo menos dentro da minha mente perversa (muahahaha).


EDIT

AMANHÃ É MEU ANIVERSÁRIO, QUERO RECEBER PARABÉNS DE VOCÊS U_U Não é todo dia que faz 19 anos n

Beijos :3


Última edição por Anne Lander em Ter Dez 11, 2012 4:50 pm, editado 1 vez(es) (Razão : BDay da Autora :})
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://in-dienacht.tumblr.com/
Cami
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 535
Localização : RS
Data de inscrição : 12/10/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Outro

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Ter Dez 11, 2012 4:48 pm

AAI deus, como assim tu parou na melhor parte?? Continua liebe, to bem curiosa. O Bill e a Megan formam um casal tão lindo. Bill fofo. Posta logo. Very Happy Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
Laíse
Iniciante


Número de Mensagens : 10
Idade : 17
Localização : Brasília-DF
Data de inscrição : 17/10/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Ter Dez 11, 2012 5:32 pm

Zzumbie escreveu:
AAI deus, como assim tu parou na melhor parte?? Continua liebe, to bem curiosa. O Bill e a Megan formam um casal tão lindo. Bill fofo. Posta logo. Very Happy Very Happy


-----Continua--- tongue
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://swanepoelcandy.tumblr.com/
Ilana
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3843
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 01/02/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Qua Dez 12, 2012 7:16 pm

COMO ASSIM AINDA APAIXONADO PELO TOM COM UM HOMEM IGUAL AO BILL AO SEU LADO? Se mate, por favor, Megan u.u

Teenager 2? Hmm, interessante kkkk Ainda bem, é péssimo quando uma fanfic boa acaba... Ao menos, irá durar mais um pouco!

Pera, se o seu "amanhã" é o "hoje" para mim: PARABÉNS LINDA, MUITOS ANOS DE VIDA E MUITA CRIATIVIDADE PARA ESCREVER FANFIC TAMBÉM!!

Enfim, prossiga :3
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://eternitytokiohotel.tumblr.com/
Anne Lander
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 339
Idade : 22
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 19/12/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Orkut

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Seg Jan 21, 2013 10:08 am

Bom dia!
Obrigado meninas :3

Gente, me perdoe mesmo pela demora, é que eu simplesmente travei, mas enfim, vamos ao capítulo?

__________________________________________



Capítulo 10 – I’m better off alone anyway.
(Eu estou melhor sozinha, de qualquer jeito).



Os dias se passaram rapidamente, e realmente, no fundo, eu tentava ignorar que o tempo realmente passava mais rápido quando a angustia dentro de ti, te tortura aos poucos.
Eu estava muito feliz com a chegada e a presença do Bill em minha vida, ele foi à gota doce no oceano, que me fez desviar daquele sentimento que eu estava alimentando todos os dias pelo seu irmão, mas alguma coisa me dizia que algo estava errado ou que alguma coisa ia acontecer, e aquilo me deixava aflita, era um sentimento que por mais que eu tentasse arrancar de mim, ele voltada sem fundamento algum. Será a intuição me avisando de algo que eu estou tento clara certeza que estou vendo, mas que ao mesmo tempo, eu não consigo decifrar?
Eu estava completamente apaixonada por ele, pelo Bill. Ele parecia ser a pessoa perfeita para mim, nós dois tínhamos os mesmos gostos, compartilhávamos do mesmo talento e por isso sabíamos todos os cuidados com a voz e adorávamos ficar de baixo da macieira próximo a nossa casa, escrevendo músicas que nunca sairiam do papel.
Ele era perfeito em todos os detalhes, perfeito até demais, digamos. Eu ás vezes tento pensar que a vida está me dando uma chance de ser feliz, me trazendo alguém que realmente case com todos os detalhes da minha vida que precisam ser completados, inclusive, meu coração, que era preenchido por um amor sem futuro, sem eira e nem beira. Mas às vezes, a parte ruim da minha consciência me gritava que ele era perfeito demais e que essa perfeição toda não era normal, nem ao menos brigávamos como todos namorados e... Ela também gritava que ele poderia ter outra. Já que, apesar do clima sempre esquentar, nós nunca fizemos amor.
E eu tinha medo de que todas essas coisas ruins pudessem acontecer. Eu tinha medo de perdê-lo, principalmente para outra pessoa. Mas eu também não podia me iludir com toda essa perfeição e eu devia até ter desconfiado antes, mas se eu sentar e conversar com ele sobre tudo, ele vai achar que eu estou suspeitando da fidelidade dele para comigo, e isso eu tinha medo também, por que e se ele for fiel? E se? A minha vida estava repleta disto agora, e como se não bastasse, agora eu sendo capitã das líderes de torcida, a minha vida anda de cabeça para baixo.
Às vezes, eu só queria ser igual à Kate. Ter um bom namorado, uma vida tranquila, ser linda e com muito estilo. Mas não, eu sou apenas uma capitã das líderes de torcida, extremamente desajeitada com um pseudonamorado perfeito, suspeitando de sua fidelidade e perfeição comigo, renegando minha popularidade e ainda apaixonada e dividida entre um irmão e o outro, que inclusive são gêmeos e se dão muito bem, às vezes, eu fico pensando se Tom já falou ou citou algo do que aconteceu entre nós dois para o Bill, e eu espero que não, mas se ele soubesse, teria terminado tudo comigo e falado com Kate... Ou?
Somado a todas essas indecisões em minha vida, ainda pode-se acrescentar o fato de que há mais ou menos uma semana e meia, meus colegas veem me observando de uma forma diferente, como se estivessem me escondendo algo com um pingo de pena, como se tivesse acontecido algo de que todos sabiam e eu não; e daí em diante, eu passei a ficar mais observadora com tudo e com todos, até meus amigos me olhavam assim, outro dia mesmo, Emma disse que precisava falar comigo, mas nunca mais tocou no assunto. Recebi um bilhete no meu armário, num papel amassado como se a pessoa estivesse cometendo um crime de tê-lo escrito. Dizia-se o seguinte:

Megan,
Ou você lute pelo que é seu ou abra os seus olhos.
Anon.

Eu tentei ignorar aquilo, jogando o bilhete na lixeira mais próxima. E nunca mais recebi recados parecidos, somente os olhares de pena. E aos poucos aquilo, estava me irritando, algum dia eu ia explodir e falar “Qual é, o que vocês estão escondendo de mim? Que droga”. Ninguém merece estar na posição que eu estou, e agora, Bill anda muito afastado, e nem posso contar com ele para me sentir mais segura. A vida me presenteia, mas logo puxa meu tapete, que merda.
E assim, refletindo sobre meus últimos dias, eu segui caminhando até a saída da escola. Havia apanhado minha bolsa com o uniforme sujo para ser lavado até o próximo treino, e deixado meus cadernos, já que por uma unção divina, hoje, finalmente era uma sexta-feira. E não, eu não sairia e muito menos iria ver Georg, por mais que eu quisesse, meu corpo pedia por uma bela noite de sono, talvez amanhã ele venha me visitar.
Eu desci a escadaria principal do pátio e avistei Kate no portão sozinha, me esperando. Caminhei até ela, assistindo seu sorriso carinhoso, assim quando eu a alcancei, nós duas seguimos rumo as nossas casas.
- Kate, sobrou um trocado do lanche, vamos comprar sorvete? – parei-a no meio do caminho, ao passarmos em frente a uma sorveteria, a tarde estava ensolarada, implorando por um picolé que seja.
- Eu tenho aqui também! – ela comentou entusiasmada.
Nós entramos no local e pedimos dois sorvetes, ela de morango e eu de chocolate, e assim, seguimos para a praça em frente, nos sentarmos nos banquinhos e conversar enquanto nos deliciamos da sombra das árvores e dos nossos sorvetes.
Caminhamos até o canto com os banquinhos, mas logo Kate quis voltar. Eu não entendi bem o porquê, ela disse que não era nada e assim, a minha maldita curiosidade falou mais alto e eu me virei, fitei o local que eu nunca deveria ter olhado ou talvez eu devesse olhar.
Lá, apoiados em uma árvore, estava Bill com o braço apoiado no tronco da árvore, enquanto o outro braço acarinhava o rosto da garota desconhecida que estava com ele. Ela estava abaixo dele, recostada no tronco da árvore, com as mãos nos ombros dele, acarinhando-o também como se fossem namorados há anos até as pernas deles estavam enroscadas uma na outra.
Por um segundo, eu senti meu mundo parar. Eu fiquei em choque, e provavelmente, eu estava toda pálida. E no segundo após, o meu corpo inteiro começou a tremer e o sangue subiu, era a raiva se apoderando de mim. Eu não sentia ciúmes, eu sentia raiva, muita raiva, vontade de socá-lo até ele morrer, e não a culpo, eu o culpo, por que ele me machucou. Eu nem sei quem ela é, da escola não é ou sei lá, minha raiva era maior do que a minha vontade de reconhecê-la.
Joguei o sorvete na lixeira ao meu lado e joguei a mochila no chão, à medida que eu ia me aproximando, batia os pés fortes no chão, quase passando por cima das pessoas que tentavam se impuser no meu caminho, mesmo que inocentes passeando no parque. Kate gritou meu nome, despertando Bill do seu momento romântico com aquela garota.
Não dei tempo para ele responder-me, larguei um tapa forte em seu rosto, que depois antes dele por a mão, incrédulo pelo que eu fiz, eu vi que ficou avermelhado e surpreendi-me pelo que eu fiz. Mas logo veio às palavras atropeladas, a raiva era tanta que eu não conseguia chorar, só falar, expor o que eu estava sentindo, gritar para todos ouvirem.
- É assim que você me chama de namorada? Fica na pracinha beijando outras? Quantas garotas você já ficou até agora aqui? Você é um desgraçado Bill, a minha vontade é de socar você até você morrer! Filho da mãe! EXPLICA-ME AGORA POR QUE VOCÊ ESTÁ COM ELA?! – eu não falava, eu gritava.
- Megan, calma, fale mais baixo – ele se afastou da garota, tocando em mim, tentando me acalmar. Mas eu desvencilhei dos seus braços, continuando a falar.
- Ah, agora você não quer escândalos? Você é tão burro que vem me trair na pracinha perto da escola!
- Quem é você, para começo de conversa? – a loira se intrometeu.
- Megan Castillo, dois meses supostamente namorando esse traste! – respondi rapidamente.
- Bill? – ela o questionou, surpresa.
- Megan, a Casside é minha namorada há dois anos – ele apresentou-a a mim.
- Ah, então a traída não é eu? Bom saber! – ri irônica.
- Megan, vamos embora, por favor – Kate se intrometeu.
- Kate, espere um minuto, por favor! – pedi, ela assentiu – Bill, – eu comecei a falar, fechando os olhos para respirar fundo e acalmar-me – nunca, nunca, nunca mesmo eu quero ver você, falar com você, estar com você. Não me procure mais, por favor. Eu achei que você era incrível, uma pessoa que veio para ser especial na minha vida, mas você só veio piorar as coisas, me desculpe... Hm, Casside? – ela assentiu – Eu não sabia que vocês estavam namorando, me perdoe se eu causei algum problema no relacionamento de vocês dois, eu só fui iludida por ele. Agora eu vou indo, até... Nunca mais, Senhor Bill.
Claro que ele não me respondeu em momento algum, só assistia o que eu falava, boquiaberto, pego de surpresa assim como ela também estava diante daquela revelação, ela também deveria estar se sentindo traída por ele.
Eu dei as costas para os dois, seguindo até Kate. Apanhei minha bolsa que estava nas mãos de Kate, pondo-a nos ombros novamente. E despejei todas as lágrimas contidas no caminho, que nunca fora tão logo como antes e Kate, carinhosamente, me acompanhou até em casa. Essa não era a minha primeira decepção amorosa, mas foi a que mais doeu, talvez por que ela realmente aconteceu, foram dois meses já, dois meses investindo num relacionamento, passando por dias especiais, cheios de amor, de carinho, eu até mostrei meus dotes culinários fazendo-lhe um bolo de aniversário que fora há um mês, enquanto ele tinha outra, ah com certeza, quando eu fui embora, ela deve ter chegado e lhe dado outra coisa. Ah claro, para eles namorarem a tanto tempo assim, ela deveria morar onde ele morava antes de vir morar com sua mãe e padrasto e o Tom deveria saber disto, seria impossível ele não saber disso.
Kate não proferiu nada a mim, só abraçava-me lateralmente, num consolo silencioso. E assim, finalmente, o caminho terminou, e eu estava em casa, no meu porto seguro, agradecendo pelo bilhete deixado na mesa de que meus avós foram fazer as compras do mês no supermercado e que iriam demorar um pouco por que iam buscar algo para comer em algum restaurante. Bom, teria tempo suficiente para chorar na cama e me recompor até que eles cheguem.
Kate prometeu que iria ficar comigo até que Georg chegasse, ou seja, ela passaria a noite e parte da manhã comigo. O que já era muito bom, por que ter a companhia dela nesse momento, seria bem mais fácil de superar a dor, a dor emocional que ele me causou, foram dois meses, dois longos meses para nada, sabe o que é nada? Para tudo acabar com uma traição, a traída fora sua namorada, mas de alguma forma eu fui usada. Eu não posso esquecê-lo em menos de duas horas, mas eu tentaria ao menos começar essa etapa de esquecimento, de novo não!
Kate e Georg, apesar de tudo, eram meus melhores amigos, aqueles que você olha e tem a plena certeza de que não são apenas meros amigos e sim, são seus irmãos, irmãos de alma. Eles não se davam muito bem, talvez por que não tivesse a mesma convivência que eu tive com cada um, mas ambos sabiam a diferença que eles faziam na minha vida e o quanto eram especiais para mim.
Depois de tanto chorar no colo de Kate, ela me deu um remédio para dor de cabeça, e indicou-me que era melhor eu me banhar e dormir. Ela explicaria aos meus avós o que aconteceu, sem especificar a traição, falaria que não nos demos muito bem e terminamos o namoro, por que se ela contasse a verdade, minha avó ia ter uma conversa séria com ele e com Simone, já que ela a conhecia de vista e meu avô seria mais direto, e assim tendo a certeza de que eles saberiam somente que terminamos o namoro com uma decisão conjunta e não por um motivo mais forte, eu poderia adormecer em paz, descansar desse longo dia.
E assim eu o fiz.

[...]

Acordei subitamente.
Me levantei, sentando na borda da cama, coçando os olhos. Ainda estava escuro, percebi isso quando avistei o céu escuro pela brecha da cortina. Eu me virei, avistando Kate adormecida ao meu lado.
O silêncio era profundo em casa.
Apanhei meu celular que estava ao lado sob o criado-mudo, para ver que horas eram. Confirmei que se passava das 3h já, eu acordei agora, por que eu adormeci cedo demais por sinal, com um belo motivo. E também pude conferir que haviam duas mensagens enviadas pelo Georg, à primeira dizia o seguinte.

Georg,
26/10 – 20h06min
Saudades de você, princesa.

A segunda mensagem veio um pouco mais tarde.

Georg,
27/10 – 00h03min
Kate me ligou, disse o que o Bill fez, eu irei logo de manhã para te ver. Oh droga, eu mal consigo dormir!

Então, eu rapidamente digitei uma mensagem para ele.

Ge, se você estiver acordado, me liga? Preciso ouvir a sua voz.

Levantei-me da cama, com cuidado para não acordar Kate que dormia tranquilamente e fui para o banheiro, esperar que ele me ligasse. E a chamada “Georg” não tardou a aparecer no visor do celular, ansiosa, não aguardei nem pelo segundo toque e o atendi.

- Olá, olá, Megan ouvindo a minha voz em 3, 2, 1.

Ri.

- Idiota, eu te amo sabia?

- Eu também te amo, sua boba. Está se sentindo melhor?

- Estou bem, vou ficar bem.

- Tem certeza? Sua voz não está das melhores.

- Para quem chorou a tarde e dormiu com remédios, acho que poderia estar pior.

- Cara, como eu estou com vontade de socar o Bill, sério.

- Somos dois então. Você sabia dessa Casside?

- Quem é? A tal namorada dele?

- A própria.

- Nunca ouvi falar dela, se eu soubesse, CLARO que eu não permitiria nem que ele ousasse beijar você. Eu o conheço, sabia que ele era uma boa pessoa e estava super feliz de vocês estarem juntos, mas ele vacilou.

- E bota vacilo nisso.

- Enfim, eu vou sair bem cedo daqui, eu quero muito ficar perto de você, não suporto toda essa distância! Mas eu tenho uma boa notícia para dar a você!

- E o que é?

- Só falarei quando eu chegar.

- Droga Georg! Vou ficar curiosa!

- Que fique!

- Ah!

- Vai dormir princesa, mais tarde você precisa estar bem para me receber, claro.

- Eu estou sem sono.

- Mas eu estou morrendo de sono, então boa noite meu amor.

- Vai dormir bebê, eu te amo.

- Eu te amo mais.

- Mentira.

- Verdade, boa noite. Aliás, boa madrugada.

- Para você também.

E desligamos.

Eu estava realmente sem sono, mas com um bocado de fome, então fui ver se tinha ainda algum pedaço de pizza de ontem.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://in-dienacht.tumblr.com/
Missy Bardot
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1011
Idade : 24
Localização : Santa Catarina
Data de inscrição : 19/06/2012

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Seg Jan 21, 2013 10:53 am

Cara to chocada...por que Bill?
Dona Anne trate de continuar pois to viciada nessa fic kkkkkkkkkkkkk study
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ilana
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3843
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 01/02/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Sex Fev 15, 2013 7:55 pm

Super atrasada!! Estava de férias e quando cheguei fiquei bem atolada de coisas....
Gente, porque ele fez isso? Agora ela vai ficar dividida novamente, entre um amor antigo machucado, e o novo amor machucado...

Enfim, prossiga!! <3
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://eternitytokiohotel.tumblr.com/
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Teenager - AVISO IMPORTANTE.   Hoje à(s) 2:57 pm

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Teenager - AVISO IMPORTANTE.
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 3Ir à página : Anterior  1, 2, 3  Seguinte
 Tópicos similares
-
» O que é mais importante(prioridade) numa linha de baixo?
» Vazou na nét / Importante mensagem para o mundo
» O importante é fazer música e alegrar a alma ...
» Cuidado - Equipamento roubado
» Cabos

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
TH BRASIL OFICIAL - Fórum :: Fan Stuff :: FanFics-
Ir para: