Fórum Oficial do Tokio Hotel no Brasil - TH BRASIL OFICIAL FÓRUM
 
InícioPortalRegistrar-seLoginIr para o site@THBRASILOFICIALFacebook

Compartilhe | 
 

 Certainty At The End

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
AutorMensagem
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Seg Jul 25, 2011 6:42 pm

Ilana escreveu:
Bill convencido dos infernos! --'
Quero que ele quebre a cara! :x
Ok. Ninguém viu isso!
Enfim...
Ficou perfeito Janaína!

Mas para ficar melhor, basta você continuar! Wink



Isso ae, continue
Voltar ao Topo Ir em baixo
Evelyn Kaulitz
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1040
Idade : 20
Localização : PE
Data de inscrição : 21/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Twitter

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Seg Jul 25, 2011 8:08 pm

AAmei tudo o que li...
Você escreve muito bem menina. Very Happy
Não demore pra postar o 1° Capítulo.

Citação :
Eu não sabia exatamente o porquê, mas a antipatia que as pessoas tinham por mim me agradava.
Essa frase se encaixa perfeitamente em mim na escola e na vizinhança, eu gosto disso. Rolling Eyes
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://p-a-r-a-d-i-s-e.tumblr.com/
Catarina Kretli
Fanática
Fanática


Número de Mensagens : 1673
Idade : 20
Localização : Casimiro De Abreu - RJ
Data de inscrição : 07/04/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Seg Jul 25, 2011 9:02 pm

Miilena escreveu:
Aaai. Adorei esse Bill, sério. Ele e Serena com personalidades bem parecidas né?!
Conseguir algum destaque na faculdade não é fácil assim não,esses gêmeos são fo.. UHASUASU'
Adoro seus diálogos Janah, faz tudo parecer tão real, e sua escrita é impecável, você sabe!
O que eu poderia dizer, ela já disse. POKSPOAKSPOAS
Estou vendo que eu vou AMAR essa fic. *o*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Patty Back
Admin
Admin


Número de Mensagens : 4279
Idade : 22
Localização : Curitiba
Data de inscrição : 24/10/2008

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Seg Jul 25, 2011 9:17 pm

Catarina Kretli escreveu:
Miilena escreveu:
Aaai. Adorei esse Bill, sério. Ele e Serena com personalidades bem parecidas né?!
Conseguir algum destaque na faculdade não é fácil assim não,esses gêmeos são fo.. UHASUASU'
Adoro seus diálogos Janah, faz tudo parecer tão real, e sua escrita é impecável, você sabe!
O que eu poderia dizer, ela já disse. POKSPOAKSPOAS
Estou vendo que eu vou AMAR essa fic. *o*
OOOOOPA! Ódio, discórdia, brigas...... to preparada, tudo que eu gosto! MANDA MAIS AI JANAH, QUE EU TO DOIDA PRA LER *o*
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.flickr.com/photos/trishback
Júlia G.
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 2642
Idade : 20
Localização : Brasília
Data de inscrição : 27/08/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Seg Jul 25, 2011 9:20 pm

WOOOOOOOOOOOOW, JANAINA, CA-RAM-BA! PORRA VELHO, eu simplesmente amei. Cara, não tem outra palavra, eu amei a atitude desse capítulo, a ousadia dos pensamentos do Bill. Porra, tudo, tudo, tudo! Nossa, to apaixonada, me conquistou no primeiro parágrafo.
Sério, parabéns, eu to de boca aberta, nem sei o que comentar. To batendo palmas pra tu Jana. Me conquistou com um prólogo. Se isso era só o começo, to imaginando o que vem por aí O:
Consegui imaginar cada cena, tudo. E na minha cabeça, o Bill e o Tom tem a famosa barba de L.A. Eu não sei, combina tanto com a descrição. O Bill de atualmente tá mesmo com essa cara arrogante, exibindo os músculos e andando com o peito pra frente, com cara de "fodi mais do que você" KK

To tirando o chapéu pra você minha Jana, olha aplausos

E como é lindo o amor fraternal demonstrado no começo desse prólogo AHEUAHUE

Citação :
E nós queríamos. E nós podíamos

Uou, desculpa aí; Com essa aí já conquistou minha antipatia, beijos NSKLNSKL

Citação :
Elas riam-se consigo mesmas, e depois iriam comentar o fato com as amigas. Tão... Idiotas.

Erm, isso é exatamente o que eu acho que os meninos como o Bill da tua fic pensam. E ainda existem garotas que continuam achando que tão arrasando ._. Tipo, "ai, olha, ele tá olhando pra mim, ele tá apaixonado e eu gostosa" -q

Citação :
- Você estava chorando, e pelo que eu saiba, pessoas com formação para palhaçada vinte e quatro horas não são disso.

KKKKKKKKKKKKKKKKK, PÔ, EU RI DISSO. Me identifiquei seriamente com essa frase. Eu sempre tive vontade de dizer isso pra um certo elemento da minha sala. Sempre lixa Botei fé LKNSKNSL

Cara, Janão, me surpreendeu. Parabéns. To cativada.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Susi Ficwhiter
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3815
Idade : 26
Localização : fazendo check-in
Data de inscrição : 12/09/2008

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Ter Jul 26, 2011 1:44 pm

viu criaturaaa quantos elogios???
não precisa ficar receosa no que escrever, amamos vossa escrita
continue^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
Darling-J
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1161
Idade : 22
Data de inscrição : 31/05/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Ter Jul 26, 2011 2:57 pm

Júlia G. escreveu:
WOOOOOOOOOOOOW, JANAINA, CA-RAM-BA! PORRA VELHO, eu simplesmente amei. Cara, não tem outra palavra, eu amei a atitude desse capítulo, a ousadia dos pensamentos do Bill. Porra, tudo, tudo, tudo! Nossa, to apaixonada, me conquistou no primeiro parágrafo.
Sério, parabéns, eu to de boca aberta, nem sei o que comentar. To batendo palmas pra tu Jana. Me conquistou com um prólogo. Se isso era só o começo, to imaginando o que vem por aí O:
Consegui imaginar cada cena, tudo. E na minha cabeça, o Bill e o Tom tem a famosa barba de L.A. Eu não sei, combina tanto com a descrição. O Bill de atualmente tá mesmo com essa cara arrogante, exibindo os músculos e andando com o peito pra frente, com cara de "fodi mais do que você" KK

To tirando o chapéu pra você minha Jana, olha aplausos

E como é lindo o amor fraternal demonstrado no começo desse prólogo AHEUAHUE

Citação :
E nós queríamos. E nós podíamos

Uou, desculpa aí; Com essa aí já conquistou minha antipatia, beijos NSKLNSKL

Citação :
Elas riam-se consigo mesmas, e depois iriam comentar o fato com as amigas. Tão... Idiotas.

Erm, isso é exatamente o que eu acho que os meninos como o Bill da tua fic pensam. E ainda existem garotas que continuam achando que tão arrasando ._. Tipo, "ai, olha, ele tá olhando pra mim, ele tá apaixonado e eu gostosa" -q

Citação :
- Você estava chorando, e pelo que eu saiba, pessoas com formação para palhaçada vinte e quatro horas não são disso.

KKKKKKKKKKKKKKKKK, PÔ, EU RI DISSO. Me identifiquei seriamente com essa frase. Eu sempre tive vontade de dizer isso pra um certo elemento da minha sala. Sempre lixa Botei fé LKNSKNSL

Cara, Janão, me surpreendeu. Parabéns. To cativada.

Olha quem está aqui comentando. Laughing
Acho que não preciso dizer nada, não é? Já o fizeram por mim. E mesmo que eu fosse o fazer, repetiria tudo novamente, só para você ter mais certeza que você é e sempre será uma puta escritora.
Falo mesmo.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Janaína C.
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 4297
Idade : 22
Data de inscrição : 26/11/2008

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Jul 31, 2011 1:20 am

Hallo leute, alles gut? Very Happy
Sei que está tarde, mas como não tenho certeza se aparecerei por aqui amanhã, já deixo vocês com o primeiro capítulo da CATE. Fiquei muito feliz (e surpresa!) por receber tantos comentários positivos, e mais surpresa ainda por ver que algumas de vocês se identificaram com alguns pontos do prólogo. Sério, achei isso incrível! Outra coisa que eu adorei foi o fato de vocês terem odiado tanto o Bill. Esse era meu principal objetivo, mas não sabia se iria atingí-lo, de fato. Mas percebi que tudo parece ter dado certo! AHUEAHUEAHUEAHUE Fico muito feliz com isso também *-* E aqui vão três respostas que eu preciso dar:
Susi, eu realmente estava pensando no Tomo gostosão quando o sobrenome da Serena me veio à cabeça AHEUAHEUAHEUAHUE;
Julietz, tu não sabe quantas vezes eu li e reli essa tua review, rindo e ficando abobada com a tua reação, sério! Tu é uma das minhas maiores inspirações na escrita, você sabe!;
e Fafa, obrigada por ter aparecido por aqui, sua chatonillda AHEUAHEUAHUE Fiquei muito feliz quando vi tua review por aqui, sério :'D
E bom, como vocês devem perceber, a autora dessa fic fala demais y.y Portanto, vou ficando por aqui e deixando o primeiro capítulo da Certainty At The End para ser desfrutado. Enjoy it Very Happy






Todos se encontravam um em cada canto da sala de aula, cada um de um jeito, conversando calorosamente sobre algum assunto trivial. Coisa do dia-a-dia.
No rosto de alguns, a expressão predominante era de preocupação. Tudo isso porque hoje era dia da entrega do resultado de uma das últimas provas realizadas na classe de Bill.
Ele havia ficado um pouco dentro da sala, conversando com alguns poucos que se aproximaram a início, e logo depois, decidiu esperar o professor na soleira da porta. De lá, ele pôde observar Serena ao fundo da sala, com a testa levemente franzida. Em sua mão direita, um lápis em movimento frenético. Ela com certeza estava fazendo mais um daqueles croquis que o deixavam angustiado.
Durante esse breve período de desatenção para com o resto do ambiente, o professor passou por Bill, pedindo educadamente que todos aqueles que se encontravam no corredor pudessem entrar para a entrega dos resultados. E ele, sinceramente, já sabia qual seria sua primeira frase, logo após o habitual, caloroso e sincero bom dia dirigido a todos os presentes.
- Bom dia turma – o professor esperou que todos respondessem para seguir até sua mesa e revirar minimalistamente sua pasta de tamanho médio, retirando um amontoado de papéis brancos bem organizados do interior de um fino plástico. – Tenho em mãos o resultado da prova da semana passada, e que devo dizer, me surpreendeu bastante. Vocês melhoraram quase setenta e cinco por cento após a revisão que realizamos - ele declarou radiante, com um sorriso enorme no rosto, enquanto todos gritavam de felicidade na sala. Bill apenas revirou os olhos e abaixou brevemente a cabeça. – E como já era de se esperar, Serena e Bill Kaulitz obtiveram as melhores notas – e então, o garoto sorriu abertamente, ainda com a cabeça baixa. Aquela era a frase pela qual ele estava esperando.
Seu nome sempre era anunciado com a presença do sobrenome, porque havia mais de um Bill em sua sala. Italiano ele era, se não houvesse engano. E é óbvio que ele não gostava de ouvir seu nome sendo anunciado juntamente com o dela. Mas já havia virado um costume.
Suas notas eram sempre as únicas mencionadas, eles eram sempre os únicos parabenizados e suas provas eram sempre as primeiras a serem entregues.
O resto do horário parecia se arrastar durante a correção da prova. Geralmente, em momentos assim, quase oitenta por cento da classe ficava conversando sobre a prova, e logo após, sobre algo que não tenha nada em comum com a mesma. Hoje, a situação estava diferente.
Além de ter o fato de Bill estar meio desligado por algum motivo que ele não sabia ao certo (talvez sono), ele ainda não havia escutado a voz irritantemente alta de Serena ecoando pelo ambiente. Ele só não sabia se isso se devia à conversa que ela tivera com Steve um pouco antes. E pensando melhor, estava feliz sem saber. Um pouco de chateação a fez calar a boca afinal, e isso era mais do que ótimo, ele pensava.
- Hey Bill – Travis deu um tapinha cordial em seu ombro esquerdo antes de se ajoelhar ao seu lado -, está pensando em aparecer na festinha logo mais à noite?
- Acredita que ainda não sei? – Bill o olhou com as sobrancelhas brevemente erguidas. – Eu não estou tão animado agora, mas ainda tenho de ver o que Tom irá resolver – tradução: eu realmente não queria passar a noite em um lugar cheio de gente como você, mas talvez meu irmão esteja pensando em uma one night stand e me convença a querer o mesmo.
- Ah, o que é isso, você é lá do tipo de pessoa que não sabe se vai curtir a noite ou não? – nesse instante, seu sorriso reluziu, e seu tom de voz atraiu olhares curiosos pela resposta de Bill, muitos desses olhares sendo femininos.
- É, vamos lá Bill! – Sebastian apareceu sabe-se lá de onde e estacionou sorrindo ao seu lado direito.
- A noite tem grandes chances de ser movimentada – Milena, a garota que estava sentada ao lado da carteira onde Seb estava se apoiando, se pronunciou. – Ouvi uma conversa estranha entre o Steve e a Serena hoje – a audácia transbordava de seu olhar, enquanto este pousava demoradamente no rosto de cada participante da conversa.
- Você conseguiu ouvir? – Bill indagou, ligeiramente tomado pela curiosidade.
- Sim, até você fazer o favor de interromper a conversa. Na hora, eu sabia que o assunto iria acabar – ela revirou os olhos, ao passo de que Bill a encarava com indiferença. – Enfim, parece que o Steve está querendo alguma coisa com ela.
- E você sabe por que ela estava chorando? – Jenipher perguntara. A cada momento, as pessoas ali em volta iam aumentando. – Quer dizer, ela entrou no sanitário chorando após a conversa com ele.
- Então, essa foi a parte que eu não entendi – Milena vincou a testa, concentrada em sua lembrança. – Quando Serena percebeu o que ele queria, ela já o recusou logo de cara, o que fez com que ele a ofendesse. Parece que ele disse que a vidinha dela era fácil demais, que ela sempre recebe tudo o que quer, e que agora, a única coisa que lhe falta é ser mais conhecida por aqui.
- Mas o que é isso? – Travis se interpôs. – Todo mundo aqui sabe como a Serena é, nada a abala e ninguém nunca passou por cima dela, nem mesmo o Bill – todos os olhares se voltaram para o Kaulitz com essa frase. – Por que ela se ofenderia por algo que o imbecil do Steve dissesse?
- Talvez ela tenha se lembrado de algo que não tenha necessariamente a ver com ele – Seb deduziu.
- Bom, sendo assim, parece que o desfecho dessa história pode rolar hoje a noite, não é? – Bill perguntou, com um sorriso travesso brincado em seus lábios, o que fez Travis sorrir.
- Isso quer dizer que você... – ele começou.
- É... Provavelmente eu apareça nesta festa – Bill declarou, o que fez todos sorrirem e baterem palmas brevemente, somente pela confirmação de sua presença em uma festa. Hilário.
Bom, ele não teria nada melhor para fazer, e se ele arrumasse mais algum mísero motivo para implicar com Serena, melhor para ele.

- Você tem certeza de que quer ir? – Tom questionara, parado de braços cruzados na soleira da porta do banheiro, observando seu irmão enquanto este escovava os dentes.
- Tenho – o mais novo respondeu, logo após sua última cusparada, antes de enxugar seu rosto. – Não temos nada o que perder.
- E nada o que ganhar – Tom disse com as duas sobrancelhas erguidas, tentando passar uma imagem de superioridade.
- Qual é Tom, eu já te contei a história e...
- E que eu te acho um idiota – o mais velho o interrompeu. – Você quer implicar com a garota só porque ela faz alguns desenhos bobos de um jeito melhor que o seu – ele disse, gesticulando em demasiado com as mãos erguidas no ar. - E além disso, ela é uma verdadeira tentação. Se fosse eu...
- Se fosse você Tom, mas não é – Bill disse pausadamente, enquanto arrumava o resto da maquiagem em seu rosto. – Você fala de maturidade como se implicar com os calouros pelos corredores da universidade fosse a coisa mais sensata a se fazer – ele encarou Tom através do espelho, vendo-o revirar os olhos.
- É diferente – Tom disse, simplesmente.
- Exato. Meu lance com a Serena é questão de competitividade, somente isso.
- Cuidado para não deixar isso virar uma doença – Tom alertou, fazendo uma imitação barata de um zumbi atrás de seu irmão, e logo em seguida, dando-lhe um tapa na cabeça.
- Doença é esse seu fetiche por mulheres, que provavelmente, vai ser um dos maiores e melhores motivos que te levarão a me acompanhar nessa festa – Bill disse, revidando o tapa que ganhara e se afastando rapidamente.
- Como se você fosse diferente de mim não é, pirralho? – seu irmão respondeu, enquanto pegava seus instrumentos para escovação.
- É, agora você me pegou – riram juntos. – Enfim, vou sair para comprar alguma coisa para usar hoje à noite.
- MAIS?! – Tom deu um daqueles seus habituais gritinhos irritantemente agudos. – Seu closet deve ter mais coisas do que as que existiam no que pertencia à Princesa Diana.
- Vai se ferrar, Tom – Bill disse, descendo as vastas escadas, já com as chaves de seu Audi Q7 em mãos.
- As damas primeiro! – Tom soltou lá de cima.

Trafegar pelas avenidas movimentadas do centro por vezes era uma espécie de terapia para Bill. Não que ele estivesse de cabeça cheia, mas só de sair um pouco de casa, ele já se sentia melhor.
Resolveu então parar em uma de suas lojas favoritas do centro, e que inclusive, fazia um bom tempo que não visitava.
Acionou o alarme do carro, dando a volta em torno de seu veículo pela parte da frente. Quando Joseph, dono da loja, lhe avistou, sua reação não poderia ser outra.
- Quem é vivo sempre aparece, afinal! – ele veio caminhando firme em sua direção, cumprimentando-lhe com um aperto de mão eufórico e um sorriso enorme em seu rosto já de idade.
- É o tempo que me impede de visitar seu estabelecimento mais vezes, Joph – Bill improvisara.
Joseph era uma das únicas pessoas que não lhe irritavam. Bill pensava que deveria ser porque ele era dono de uma loja repleta de produtos de suas marcas preferidas. Era um bom palpite.
- Oh, compreendo. Afinal de contas, é necessário manter os estudos em dia com muita dedicação, não é mesmo rapaz? – ele declarou com as sobrancelhas deliberadamente erguidas e um sorriso sereno em seu rosto. – Enfim – ele deu várias piscadelas antes de encarar o garoto novamente -, seus corredores prediletos foram redirecionados: as roupas ocupam toda a extensão direita e os acessórios e calçados ganharam uma nova divisa com uma nova vendedora à sua disposição – ele anunciou, enquanto Bill percorria com o olhar os lugares por Joseph citados.
- Mais alguma observação? – ele perguntou, soltando uma leve risada nasalada.
- Adquirimos algumas novidades da Dior e Chanel que chegaram ontem à tarde, assim como os produtos D&G. E as encomendas realizadas por você para a Dsquared² também já estão aqui – ele sorriu presunçosamente.
- Ah sim, obrigado Joph. Vamos ver qual será o meu prejuízo em seu estabelecimento nesta tarde – Bill sorriu, realizando um breve meneio de cabeça em um cumprimento educado e logo virando-se para encontrar e explorar as áreas antes citadas pelo dono da loja.
Bill resolveu escolher algumas novas correntes primeiro, pois provavelmente, seria uma compra realizada em menor tempo por não lhe causar tanta indecisão. Porém, algo lhe pegou de surpresa, e mesmo que ela estivesse de costas, ele já tinha certeza de qual era sua face.
- O que faz aqui? – ele perguntou, fazendo Serena se virar e deparar-se com um sorriso sarcástico de sua parte.
- Eu trabalho aqui – ela lhe respondeu sorrindo abertamente, sorriso esse que ele até interpretaria como sendo sincero, caso não soubesse a falsidade que ele carregava.
- Você é a nova vendedora? – Bill ergueu as sobrancelhas.
- É o que parece não é, gênio? Por que o espanto? – ela virou-se novamente, enfileirando uma remessa de bolsas Marc Jacobs em uma prateleira próxima.
- Ah, nada... Só achei que você não fosse capaz de nada além de respirar – Bill apoiou-se por sobre a bancada, baixando o olhar e se deparando com os perfumes. Hugo Boss lhe chamou a atenção pela embalagem.
- Sério? Sempre pensei que essa definição que você acabou de citar pertencesse a você – o garoto ergueu o olhar, encontrando um sorriso travesso brincando nos lábios de Serena.
A pergunta era: por quê? Por que Serena estava trabalhando ali? Até onde ele sabia, sua família era dona de uma excelentíssima renda mensal.
- Vai na festa de hoje à noite? – ele perguntou, apenas para disfarçar o interesse súbito na nova atividade da garota.
- Definitivamente, não te interessa.
- Mesmo? Já ouviu aquela história de que o cliente sempre tem razão?
- Vai caçar sua turma, Bill.
- Posso fazer melhor e reclamar de mau atendimento. Conheço Joseph há sete anos e ele com certeza não hesitaria em me dar razão – e finalmente, Bill pôde assistir a expressão de Serena desmoronar. Um ponto para mim, ele pensou.
- Eu ainda não tenho certeza se irei – ela respondeu em um tom baixo, sustentando seu olhar nos olhos de Bill.
- Está vendo? Não é bem mais fácil quando se é educada com as pessoas?
- Você é o último ser que deveria falar sobre educação.
- Já disse pra prestar atenção em como fala comigo – Bill diminuiu o tom de voz.
Ela simplesmente se apoiou na bancada de vidro utilizando seus dois braços, e se abaixando vagarosamente para se aproximar do rosto do garoto, ela disse:
- Eu sinceramente não tenho medo de suas ameaças, Kaulitz. Diga o que quiser ao Joseph, acaba com essa oportunidade que eu estou tendo aqui. Eu saio dessa loja e arrumo outro emprego, sei lá... Interfira na minha vida o quanto quiser, mas eu não vou me submeter às suas ameaças como todo mundo faz e – ela se endireitou de repente e pigarreou – as colônias da última linhagem de HB que chegou até nós está saindo a 83€ – ela sorriu gentilmente.
Antes que Bill pudesse entender a última frase de Serena, alguém lhe tocou levemente em seu ombro.
- E então caro rapaz, o novo atendimento está aprovado? – Joseph perguntou, exibindo um sorriso amarelo em expectativa à resposta.
- Oh... Claro Joph, super aprovado – Bill sorriu enquanto lhe respondia, olhando para Serena logo em seguida (que sorria falsamente, por sinal) e voltando a pousar seu olhar por sobre o velho simpático. – Mas sabe... Acho que não levarei nada, apenas por hora. Pode só pegar minha encomenda vindas dos gêmeos Caten, por favor?
- Claro! Por favor, me acompanhe Bill.
E antes que ele pudesse desaparecer totalmente de seu campo de visão, virou-se para trás e pronunciou um te vejo mais tarde de maneira muda para Serena.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.twitter.com/hysteriaofradio
Darling-J
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1161
Idade : 22
Data de inscrição : 31/05/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Jul 31, 2011 2:06 am

O Bill é, simplesmente, o cara mais detestável da face de terra. Pronto, falei, tô leve. O jeito esnobe dele me dá nos nervos. E o Tom também não fica atrás, só com menos intensidade. Argh, estou com vontade de fazer picadinho de Kaulitz. Pode? *-*
Mas o que me intriga mesmo é esta rixa toda com a Serena. Não pode ser apenas por causa dos desenhos que ela faz, não mesmo. Deve ter uma história por detrás disso, ou até mesmo uma paixão platônica. Mas é só um palpite.
Ah, eu não posso me esquecer. Terceira pessoa é, Iana? y.y Eu deveria ir até a sua humilde residência lhe dizer umas boas verdades e enfiar nesta sua cabecinha teimosa que você arrasa em qualquer gênero, número e grau.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Miilena
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 303
Idade : 23
Localização : Rio Grande Do Sul
Data de inscrição : 03/04/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Jul 31, 2011 2:32 am

Como assim uma Milena na história? e você nem pra me contar :/ (depois a gente conversa) lixa
Mas esses Kaulitz exalam arrogância né? Cruzees, nem sei quem é pior. Mas confesso que no fundo isso deu um charme a mais no seu Bill Very Happy eu achei /Q
Só não me convence muito essa antipatia gratuita que ele tem pela Serena ele poderia seguir o conselho do Tom e.. UQ
Citação :
' - Ah, nada... Só achei que você não fosse capaz de nada além de respirar – Bill apoiou-se por sobre a bancada, baixando o olhar e se deparando com os perfumes. Hugo Boss lhe chamou a atenção pela embalagem.
Eu ri alto nessa parte, sempre muito sutil esse Kaulitz KKK-

Darling-J escreveu:

Ah, eu não posso me esquecer. Terceira pessoa é, Iana? y.y Eu deveria ir até a sua humilde residência lhe dizer umas boas verdades e enfiar nesta sua cabecinha teimosa que você arrasa em qualquer gênero, número e grau.
É isso ai, se precisar de ajuda vou junto contigo Darling Cool

Esperando o resto cha
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://twitter.com/#!/Milenaknop
Patty Back
Admin
Admin


Número de Mensagens : 4279
Idade : 22
Localização : Curitiba
Data de inscrição : 24/10/2008

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Jul 31, 2011 5:18 am

Darling-J escreveu:
O Bill é, simplesmente, o cara mais detestável da face de terra. Pronto, falei, tô leve. O jeito esnobe dele me dá nos nervos. E o Tom também não fica atrás, só com menos intensidade. Argh, estou com vontade de fazer picadinho de Kaulitz. Pode? *-*
Mas o que me intriga mesmo é esta rixa toda com a Serena. Não pode ser apenas por causa dos desenhos que ela faz, não mesmo. Deve ter uma história por detrás disso, ou até mesmo uma paixão platônica. Mas é só um palpite.
ah nããão! até que eu to gostando desse Bill frescurento ai, IUGDUASGDIAUSGDQUASGQ
poxa Fer, concordo contigo, tem mais história ai do que a Janet ta escrevendo, sinto isso e.e'

Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.flickr.com/photos/trishback
Catarina Kretli
Fanática
Fanática


Número de Mensagens : 1673
Idade : 20
Localização : Casimiro De Abreu - RJ
Data de inscrição : 07/04/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Jul 31, 2011 5:09 pm

Bill mau carácter ? ADORO KKKKKK"
O que vai rolar na festa ? Só Deus sabe né. POSKAKSPKAOPSKAPOKSP
Se o Bill já faz mais compras do que devia, imagina agora. --'
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Jul 31, 2011 5:14 pm

Catarina Kretli escreveu:
Bill mau carácter ? ADORO KKKKKK"
O que vai rolar na festa ? Só Deus sabe né. POSKAKSPKAOPSKAPOKSP
Se o Bill já faz mais compras do que devia, imagina agora. --'

Né? To adorando Jana, *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sara Kaulitz2
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1172
Idade : 19
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 22/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Jul 31, 2011 7:29 pm

Darling-J escreveu:
O Bill é, simplesmente, o cara mais detestável da face de terra. Pronto, falei, tô leve. O jeito esnobe dele me dá nos nervos. E o Tom também não fica atrás, só com menos intensidade. Argh, estou com vontade de fazer picadinho de Kaulitz. Pode? *-*
Mas o que me intriga mesmo é esta rixa toda com a Serena. Não pode ser apenas por causa dos desenhos que ela faz, não mesmo. Deve ter uma história por detrás disso, ou até mesmo uma paixão platônica. Mas é só um palpite.
É, mais nada a dizer Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
Susi Ficwhiter
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3815
Idade : 26
Localização : fazendo check-in
Data de inscrição : 12/09/2008

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Seg Ago 01, 2011 10:52 am

Joseph era uma das únicas pessoas que não lhe irritavam. Bill pensava que deveria ser porque ele era dono de uma loja repleta de produtos de suas marcas preferidas. Era um bom palpite.

Bill, SEU POMBO DAS TREVAS OTÁRIO, VÁ SE CATAR!
(Jannah rindo, mwawawawaaa)
enfim, certeza que você tinha se inspirado mesmo no meu monumento preferido do povo vindo de Marte, os chefes dos Echios

SERENA, ACABA DE GANHAR UMA NOVA FÃ!
nnhaaaa acabe com ele, até não restar nadaaa! (que assassina, Cristo!)

e continue, amo tua escrita ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
déec .
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 4003
Data de inscrição : 13/11/2009

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Seg Ago 01, 2011 3:49 pm

Susi Ficwhiter escreveu:
espero que a prima em 2º grau do Tomo (vai dizer que foi coincidencia de sobrenomes!) coloque Bill em seu lugar.
Suas palavras = minhas palavras KKKK

MAS HEIN, AQUI ESTOOOOOOU ~it's a pity, btw~
Sabe quando uma pessoa é tão depressível que acaba sendo cativante? Pois é, Jana-chi, esse é o seu Bill NSALKSNKALSNASLÇKA
E que fofa e ao mesmo tempo coitadinha a Serena i_i
Mas hein, ninguém pode julgar só com um prólogo e um capítulo, então poste o mais rápido que puder, sua filha dum Urso y.y
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ilana
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 3843
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 01/02/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Ter Ago 02, 2011 10:07 pm

Patty Back escreveu:
Darling-J escreveu:
O Bill é, simplesmente, o cara mais detestável da face de terra. Pronto, falei, tô leve. O jeito esnobe dele me dá nos nervos. E o Tom também não fica atrás, só com menos intensidade. Argh, estou com vontade de fazer picadinho de Kaulitz. Pode? *-*
Mas o que me intriga mesmo é esta rixa toda com a Serena. Não pode ser apenas por causa dos desenhos que ela faz, não mesmo. Deve ter uma história por detrás disso, ou até mesmo uma paixão platônica. Mas é só um palpite.
ah nããão! até que eu to gostando desse Bill frescurento ai, IUGDUASGDIAUSGDQUASGQ
poxa Fer, concordo contigo, tem mais história ai do que a Janet ta escrevendo, sinto isso e.e'


Bill Frescurentro? *Morri kkkkkkkkkkk'
Bom elas já falaram tudo.
Continue! ^^
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://eternitytokiohotel.tumblr.com/
DaDa Kaulitz
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 378
Idade : 18
Localização : In der Nähe des Ende der Welt (y'
Data de inscrição : 08/07/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Qua Ago 03, 2011 9:47 am

Nova aqui ó o/' Bill que feio oque você ta fazendo provocando a coitada da Serena' mais acho até que ele tem uma quedinha por ela e num quer assumir Cool paosakpsak
Eu ri, mais ela responde a altura dele paosaspk muito legal mesmo' continua Janaah' vicio já Razz
Voltar ao Topo Ir em baixo
jtsylar
Iniciante


Número de Mensagens : 12
Idade : 21
Data de inscrição : 13/05/2011

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Qua Ago 03, 2011 2:44 pm

:anjo: Eu achei simplesmente perfeito janah, e estou loco para saber o que mais vem por ai! cha espero que tu não demore para postar a continuação!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Evelyn Kaulitz
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1040
Idade : 20
Localização : PE
Data de inscrição : 21/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Twitter

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Qua Ago 03, 2011 8:19 pm

Só eu que estou gostando do Bill nessa fic? Shocked
Sei lá, em alguns pontos ele se parece comigo, UAHUHAUHS'
Continue, estou amando, me apaixonei por essa fic. Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://p-a-r-a-d-i-s-e.tumblr.com/
Janaína C.
Ao extremo
Ao extremo


Número de Mensagens : 4297
Idade : 22
Data de inscrição : 26/11/2008

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Ago 07, 2011 6:14 pm

Hello pessoas, como vão? Very Happy
Mais uma vez, muito obrigada por continuarem lendo e dando suas sinceras opiniões. É isso que contribui para que eu decida o destino da história nos capítulos futuros. Também tô amando o fato de vocês continuarem querendo matar o Bill, mesmo depois de eu ter mudado a pessoa da narração AEHUAHUEAHUEAHUEHU
E aqui vai um oi especial para a Dada, que apareceu essa semana *-* Seja muito bem vinda meninë! Espero que continue curtindo o desenvolver da história, e muito obrigada pelos elogios *-*
E bom, sem mais delongas, aqui está o próximo capítulo (:






Mesmo com o cansaço excessivo, Bill não conseguia dormir.
Sua cabeça insistia em latejar em diversos pontos de maneira contínua e irritante. O volume altíssimo das músicas tocadas ecoava por toda a casa, percorrendo todos os cômodos como se não houvesse ao menos uma barreira de concreto entre eles.
Bill suspirou pesadamente, levando sua mão direita até a testa. Ele precisava comer alguma coisa antes que passasse mal. Alguma coisa além daquela que estava ao meu lado, obviamente, ele pensou.
Com cuidado, ele retirou seu braço esquerdo de debaixo do corpo frágil de Amanda, que dormia serenamente por sobre a cama que mal carregava os devidos lençóis, tamanha a euforia que os possuía minutos atrás. Bill brincou com uma fina mecha do cabelo ruivo da garota antes de colocá-la por detrás de sua orelha. A pele branquíssima de sua testa ainda lhe condenava por carregar pequenas gotículas de suor.
Ele levantou-se vagarosamente para não despertá-la, apertando seus olhos para poder enxergar através do escuro os locais exatos onde havia abandonado suas peças de roupa. Vestindo-se sem muita pressa, olhou uma última vez para sua conquista da noite. Seus seios desnudos moviam-se de maneira lenta, condenando seu respirar pacato. Ela estava linda, atraente. Porém, Bill tinha em mente de que ela era bem mais deliciosa quando praticamente gritava em resposta às suas investidas contra si. Sorriu, vitorioso.
Não se preocupou em acordá-la para apresar-lhe a descer. Por mais que todas aquelas pessoas fossem um bando de animais, ninguém ousava adentrar um cômodo onde a porta estivesse completamente fechada.
Bill fechou a porta com cuidado, andando rumo à escada e jogando seus cabelos negros para trás com o auxílio das mãos. Durante o percurso, ele se perguntava porquê diabos Brian havia lhes anunciado que a festa na casa de Jordan seria para calouros. Havia muito mais pessoas da mesma idade que eles se atracando e quase realizando os preliminares aos olhos de todos por aquele local.
Quando chegou até a cozinha, Bill ficou surpreso por verificar que a comida estava praticamente intacta. Em contrapartida, os freezers com certeza estavam tendo de ser abastecidos com muita frequência.
No improviso, preparou um cachorro quente com poucos ingredientes e quis optar por um pouco de refrigerante, para que sua cabeça não sofresse mais por causa do álcool e para que seu estômago não rejeitasse o alimento que lhe era necessário naquele momento. Em cinco mordidas, terminou seu lanche. Sentiu-se satisfeito por hora, e assim, resolveu percorrer a casa novamente para decidir se sua diversão havia acabado por ali. Pegou em seu bolso uma pequena pastilha de menta e saiu porta afora.
Bill acabou por chegar até a área dos fundos, onde o som estava absurdamente mais alto e as pessoas se divertiam em volta e dentro da piscina. Ele cumprimentou uns e outros até ser levemente atraído por uma mesa com três pessoas, dois garotos e uma garota, com uma garrafa de Absolut lacrada, prontíssima para ser aberta.
Caminhou por meio metro até ser parcialmente molhado por alguém que acabara de cair ou pular com tudo na piscina, fodam-se as alternativas.
- Quem foi o filho da puta que...?
- Que o quê? – Serena lhe encarava de uma maneira divertida e gargalhava gostosamente, e pelo que ele pôde perceber, estava trajando apenas calças jeans skinning e um top verde limão, propositalmente chamativo.
- Então quer dizer que você decidiu curtir ao máximo, não é? Quem diria, senhorita certinha – o garoto sorriu, percebendo que Serena mal lhe ouvia, tendo sua atenção facilmente deslocada para outro acontecimento que ocorria ao seu redor. Estava bêbada.
- Bill, posso te contar um segredo? – ela sorriu, balançando a cabeça como uma criança, gargalhando novamente logo em seguida. Bill sorriu presunçoso, erguendo uma sobrancelha em sinal do desejo de obter a continuação de sua fala. – Eu... Eu não sei nadar!
E dizendo isso, ela mergulhou rapidamente, deixando-lhe como única alternativa acompanhar seu corpo movendo-se para a parte mais profunda da piscina em que se encontrava. Bill soltou uma risadinha nasalada com a piada. Ele definitivamente havia acabado de ganhar a noite naquele momento.
Retirou seu celular do bolso de sua calça para verificar quantas horas eram, e na mais longínqua das hipóteses, verificar se havia alguma ligação perdida de Tom, ou mesmo de algum outro alguém. Nada.
De repente, toda sua atenção direcionada ao aparelho telefônico foi desfeita quando algumas meninas, próximas da mesa que antes era seu destino, começaram a gritar. Seu olhar acompanhou a direção onde elas encaravam fixamente, assistindo a um corpo boiando perto da borda da piscina. Um corpo descalço, com cabelos loiros escuros, trajando apenas uma calça e um top verde limão.
Dois rapazes, os quais Bill não fazia a menor idéia de quem eram, puxaram o corpo de Serena para fora, atraindo automaticamente uma quantidade considerável de pessoas ainda sóbrias que se davam conta do que ocorria por ali. Um deles pediu para que todos se afastassem e começou a fazer o que parecia ser um atendimento rápido e imediato para vítimas de afogamento. Na terceira tentativa de acordá-la, ele conseguiu fazer com que ela abrisse os olhos de maneira alarmada, o que provocou uma crise de tosse. Logo em seguida, ela virou a cabeça rapidamente e regurgitou, afastando metade das garotas insuportáveis e nojentas que ali se encontravam.
- Serena, consegue me ouvir? – o garoto questionou. Ela ficou sem ação. – Serena? – nenhuma resposta. – Alguém aqui conhece essa garota? – ele aumentou o tom de voz para realizar a pergunta. – Ela não vai acordar mais. Pelo menos não por hoje.
- Eu conheço – Bill manifestou-se, fazendo com que todos que estavam à sua volta abrissem um vão imediato que proporcionassem ao “salvador” de Serena uma visão completa de sua pessoa.
- Bill, você sabe onde ela mora? Ela não pode ficar aqui assim, exposta desse jeito. Ela pode contrair algo muito mais forte do que um resfriado.
- Está tudo bem, eu dou um jeito.
O garoto pegou alguns guardanapos por sobre a mesa e limpou o rosto de Serena, aproveitando também para enxugar um pouco de seu pescoço. Bill aproximou-se do corpo inerte da garota e o ergueu, não necessitando de realizar quase nenhuma força. A garota era um bambu vestido.
Bill cumprimentou o doutorzinho com um último meneio de cabeça e saiu na direção oposta, carregando Serena em seus braços.
Foi um custo até conseguir sair daquela casa. Em determinado momento, ele teve de se desfazer brevemente do corpo de Serena, apoiando-o na parede, para logo em seguida o erguer e carregá-lo por sobre seu ombro. Com um braço livre, era mais fácil de se empurrar as pessoas.
Abriu a porta traseira de seu Audi e ajeitou aquele corpo fino no banco espaçoso. Ainda sem fechar a porta atrás de si, abriu a porta do passageiro para pegar um moletom que Tom havia esquecido ali já há alguns dias. Sorte a de Serena, que teria o que a cobrir.
Bill deu a volta em seu carro e o adentrou, colocando a chave na ignição. Mas agora, ele havia entrado em um monólogo mental: você não sabe onde essa garota mora, você a odeia tanto quanto ela não lhe suporta, e ela está praticamente semi nua no banco traseiro do seu carro. Há alguma vantagem nessa situação?
Bom... Acho que não. Posso ser implicante, mas não sou hipócrita. Vou levá-la até minha casa, e lá, decido o que fazer.


Sete e meia da manhã de sábado, campainha tocando. Algo totalmente típico.
Bill deixou sua xícara de café em repouso ao lado de seu prato com um waffle pela metade e foi atender à porta.
- Bom dia irmão – ele disse, saudando Tom com um sorriso sarcástico e malicioso.
- Excelentíssimo dia para você também, mano – Tom lhe cumprimentou num clássico abraço de irmandade antes de adentrar a casa.
- Pelo visto a noite foi boa, não? Chegou em casa até de bom humor, nossa – Bill o analisou, trancando a porta de sua residência, mas não ouvindo nenhuma outra resposta. – Tom? – chamou, virando-se e se deparando com um Kaulitz mais velho petrificado e encarando o sofá da sala.
- Eu espero que meu quarto esteja devidamente arrumado. Não significa que só porque eu tenha passado a noite fora, você pode vir aqui e se aproveitar da situação só porque minha cama tem alguns bons centímetros a mais que a sua – Tom disse de uma maneira baixa, ainda encarando o corpo inerte de Serena, e logo em seguida, virando-se para Bill com um sorriso sacana dançando em seus lábios. – Não era você que tinha um ódio doentio por essa garota? Agora ela me aparece nessa situação aqui em casa? Bill, às vezes você me confunde...
- Não aconteceu nada, Tom – Bill respondeu após revirar os olhos, jogando as chaves no sofá ao seu lado e passando por Tom para rumar à cozinha e terminar seu café da manhã.
- Há uns oito anos atrás, eu até acreditaria nessa história, Bill.
- Não Tom, é sério – Bill respondeu como pôde, mastigando um generoso pedaço de seu waffle e o engolindo com um pouco de dificuldade. – Ela passou mal na festa e apagou lá. Eu estava perto na hora e resolvi ser generoso. Agora eu posso cobrar o que quiser dela. Eu salvei a sua vida! – exclamou sorridente, dando-se conta do que falava somente agora, pois ainda não havia parado para pensar na situação desse ponto de vista.
- Tá bom então, vou acreditar em você – Tom ergueu sua sobrancelha esquerda e virou seu corpo, a fim de sair do cômodo onde se encontrava.
- Amanda Berfield. Foi com ela que eu passei parte da minha noite, Tom – e então, Bill assistiu o corpo de seu gêmeo virando-se com uma rapidez rara de se ver, a qual Tom só fazia uso quando se espantava com alguma coisa.
- Amanda?! AMANDA BERFIELD? Aquela mesma, curso de gestão empresarial? – os olhos de Tom quase saltavam das órbitas, tamanha a euforia.
- Exato – Bill sorriu largamente, antes de bebericar o último gole de café que havia em sua xícara.
- Irmão, dá cá um abraço – Tom veio de encontro a Bill puxando seu corpo de maneira violenta para si, batendo-lhe forte nas costas, propositalmente. – Eu tenho muito orgulho de ter você como caçulinha.
- Ah Tom, dá um tempo – eles riram juntos, soltando-se e levantando-se, rumando para a sala novamente.
- Bom, antes que você decida fazer alguma coisa no banheiro, vou tomar um banho para ficar mais bem disposto – Tom anunciou, subindo as escadas. – E depois eu quero esse meu moletom bem limpo e passado, cheirando à lavanda. E é bom que o nosso sofá esteja bem limpo – ele apontou em direção à Bill com ar autoritário, parando no topo da escada, e logo em seguida, sumindo de vista. Bill limitou-se a revirar os olhos.
No mesmo instante, um pequeno ruído lhe fez voltar a atenção até o sofá onde Serena estava deitada até então. Ela estava acordando. Bill não disse nada; apenas ficou ali, parado de maneira estática, esperando com que ela abrisse os olhos e percebesse onde estava e com quem. Ele conteve uma risada.
- Bill? – ela perguntou, após erguer a cabeça por míseros segundos e constatar quem se encontrava à sua frente. – O que você faz aqui?
- Eu é que deveria perguntar isso, não acha? O que você faz no sofá da minha sala?
Bill poderia jurar que a garota deveria ter se sentado em menos de meio milésimo de segundo. E é óbvio que por causa disso, a única reação que ela poderia ter seria a de levar uma das mãos à cabeça e pronunciar um prolongado “ai”.
- Que... Ah merda... O que aconteceu, afinal? Olha pra mim! – ela ergueu os braços, encarando de uma maneira engraçada o moletom que trajava.
- É, eu sei! Ninguém mandou querer dar uma de doidona na festa de ontem – e pela primeira vez, ela lhe encarou parecendo ter algum resquício de razão no olhar.
- Se não for pedir demais... Você pode me dizer por que eu estou aqui? – ela perguntou, esfregando os olhos.
- Você pulou na piscina praticamente sem roupa e bêbada, basicamente se afogou, alguém do qual eu não sei o nome te salvou e eu te trouxe para cá, porque senão, no mínimo, você teria passado a madrugada toda exatamente no mesmo lugar onde colocaram o seu corpo para tentarem te reanimar.
- Oh scheisse... – Bill apenas sorriu, observando-a exatamente do mesmo lugar onde ele antes se encontrava. – Bill... Pelo amor de Deus, será que você pode me dar um copo bem cheio de água e alguma merda de comprimido pra dor de cabeça?
- Poder eu posso, mesmo sabendo que isso não vai adiantar absolutamente nada e que você vai ficar assim pelo resto do dia – sorriu. – Pode vir até a cozinha.
Mais uma vez, Bill adentrou o cômodo ocupado por ele até alguns minutos atrás, providenciando o que Serena havia lhe pedido. Em alguns segundos, ouviu passos no mesmo cômodo.
- Pronto, aqui – estendeu o copo, e logo após, deu-lhe dois comprimidos medianos da cor amarela para que tomasse. Ela sentou-se na cadeira com uma expressão derrotada.
- É sério que você não escondeu nada que seja meu? Eu só estava usando isso aqui? – ela perguntou, colocando os dois medicamentos em sua boca e encarando-lhe por cima do copo que tampava-lhe a boca.
- É bom que seu sapato não seja de grife, por que nessas horas, sabe-se lá onde ele está, com quem está ou o que caiu dentro dele. Tantas opções... – Bill sorriu divertidamente.
- Devo te dizer obrigada? – ela perguntou, colocando o copo no balcão ao lado do prato que Bill utilizara minutos antes.
- Você quem sabe. Você já deve saber que eu vou te cobrar alguma coisa em troca quando eu precisar – ele piscou para ela, que revirou os olhos e fez cara de nojo. Ou de dor né, sabe-se lá a quantas andam os neurônios possuídos pela ressaca que estavam dentro da cabeça dela...
- Então... Agora eu vou embora – ela anunciou enquanto levantava-se da cadeira, mas consequentemente, perdeu o equilíbrio, apoiando-se em Bill.
- Eu te levo até em casa – ela o olhou. – Aí já serão dois favores que terei de cobrar de você – sorriu, vendo ela se afastar um pouco de si.
- Não Bill, não precisa.
- Você não vai sair na rua assim, vai? – ele perguntou.
- Táxi – ela sorriu de maneira minimalista.
- E você vai pagar com o quê, capim? Porque você veio pra cá sem bolsa.
- MAS QUE DROGA! – ela exclamou, chocando suas costas com violência contra a parede ao lado da porta.
- Eu pago pra você – Bill respondeu, assistindo seu olhar procurando por ele, fitando-lhe de maneira desconfiada. – O que foi? – ele teve de perguntar.
- Você realmente está fazendo isso tudo pra ter alguma coisa em troca mais tarde? – ela perguntou.
- Obviamente Serena, ou você acha que foi fácil pra mim colocar você toda encharcada no banco de trás do meu carro? Aquele estofado é caro...
Ela revirou os olhos e foi se sentar no mesmo sofá onde ela antes se encontrava, sentando-se por sobre suas pernas cruzadas e olhando algum ponto fixo em sua frente. Bill observou-a um pouco dali, antes de pegar seu aparelho celular para providenciar algum táxi para ela. Porém, por algum motivo, sua última pergunta lhe pegou de surpresa. E aquela não era a resposta que ele queria dar. Pelo menos, não foi a primeira coisa que ele havia pensado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.twitter.com/hysteriaofradio
Evelyn Kaulitz
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1040
Idade : 20
Localização : PE
Data de inscrição : 21/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Twitter

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Ago 07, 2011 8:18 pm

Imaginando se fosse o Tom com a Serenna ao invés do Bill... Rolling Eyes HAHA'
NÃO ACREDITO QUE VOCÊ PAROU, BEM AÍ...

Hum, acho que a Serena gosta do Bill...
Não demora pra continuar liebe, estou anciosa. Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://p-a-r-a-d-i-s-e.tumblr.com/
Darling-J
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1161
Idade : 22
Data de inscrição : 31/05/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Ago 07, 2011 10:22 pm

Sabe aquela música, entre tapas e beijos? Então. É a música-tema deles. É bem sério isso. Eles estão piores que Tom e Jerry AEUIAHEUAHEU
Bill todo cheio de não me toques e com o nariz empinado nas alturas, ajudando a Serena... Não sei, não. Acho que ele vai querer algo além de cobrá-la por todos estes favores.
E O QUE É ISSO? O TOM CHEGANDO EM CASA DE MANHÃ? O_O Toma cuidado com o que tu vai fazer com ele, Iana. Não é pra esculachar o coitado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Patty Back
Admin
Admin


Número de Mensagens : 4279
Idade : 22
Localização : Curitiba
Data de inscrição : 24/10/2008

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Ago 07, 2011 11:49 pm

Darling-J escreveu:
Bill todo cheio de não me toques e com o nariz empinado nas alturas, ajudando a Serena... Não sei, não. Acho que ele vai querer algo além de cobrá-la por todos estes favores.
E O QUE É ISSO? O TOM CHEGANDO EM CASA DE MANHÃ? O_O Toma cuidado com o que tu vai fazer com ele, Iana. Não é pra esculachar o coitado.
ÉÉÉÉÉÉÉ, como eu já disse, aposto que rola um sentimento por ai......... UHAEUHAEUH

ela deveria agradecer por ter acordado no sofá, pensa que tenso se fosse na cama dele? HAHAHHAHA
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://www.flickr.com/photos/trishback
Miilena
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 303
Idade : 23
Localização : Rio Grande Do Sul
Data de inscrição : 03/04/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Dom Ago 07, 2011 11:51 pm

Sabe aquela história de que a pessoa que você menos espera é a primeira que te ajuda?! acho que é mais ou menos isso. É bem esse capítulo. Bill mostrando que apesar de tudo e mesmo com quintas intenções ele se preocupa com os outros, da forma dele, mas né? Very Happy E a Serena que surpresa né? achava ela mais certinha KK- cada dia tenho mais certeza de que os dois são bem parecidos!

Citação :
- Exato – Bill sorriu largamente, antes de bebericar o último gole de café que havia em sua xícara.
- Irmão, dá cá um abraço – Tom veio de encontro a Bill puxando seu corpo de maneira violenta para si, batendo-lhe forte nas costas, propositalmente. – Eu tenho muito orgulho de ter você como caçulinha.
Eu ri. Tom sempre uma super influência KK-

esperando o próximo...
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://twitter.com/#!/Milenaknop
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Certainty At The End   Hoje à(s) 10:39 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Certainty At The End
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 7Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4, 5, 6, 7  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Certainty At The End

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
TH BRASIL OFICIAL - Fórum :: Fan Stuff :: FanFics-
Ir para: