Fórum Oficial do Tokio Hotel no Brasil - TH BRASIL OFICIAL FÓRUM
 
InícioPortalRegistrar-seLoginIr para o site@THBRASILOFICIALFacebook

Compartilhe | 
 

 O Retorno De C.R. ~ TERMINADA

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
AutorMensagem
Pah Kaulitz

Fã


Número de Mensagens : 151
Idade : 19
Localização : Humanoid City!
Data de inscrição : 15/06/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Ter Ago 23, 2011 7:58 pm

Não sei se não estou vendo mtu bem ou se vce realmente ainda não postoou??
É vce não postou...
Ta esperando o que mulher?! kkkkk posta logooo!
To morrendo de curiosidade!
Quero ver a Carol arrancar as tranças do Tom uma por uma com os dentes MUAHAHAHAHAHA Twisted Evil
AAAAA Meu Bill é um fofo *--* (Novidade ¬¬')
Voltar ao Topo Ir em baixo
Andrea Baumann
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 450
Idade : 22
Data de inscrição : 06/12/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Ter Ago 23, 2011 8:02 pm

leitora nova :b


estou amando doce
continua *^^*
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://andrea-bm.tumblr.com/
Streetwalker
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 543
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 03/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qua Ago 24, 2011 11:04 am

Eve: Ja ja Very Happy

Laviny: Pode deixar liebe Very Happy

Low: Ah, sem problemas liebe Very Happy Very Happy
HUAHUA' será?
Vamos ver HUAHUA'

Lady: Ah, danke danke mein blume *o*
'o' [AAAA] morri/
Very Happy Very Happy Very Happy Very Happy
HUAHUAHUA'
minha má perfeita *-*

Thamiii: HUAHUAHUA'
Very Happy Very Happy Obrigada mesmo liebe Very Happy Very Happy
sim sim, pode deixar blume!

Pah: HUAHUAHUA'
é, eu andei meio sumidinha desse tópico :/
Mas, estou de vorta hehe'
uuuuu ;}
o.O sua malvadaaa
HUAHUA' é mesmo *o*

Andrea: Hallo liebe, que bom que você está acompanhado, seja bem-vinda por aqui, okay?
Espero que você goste dessa continuação *-*

Well, cá estou, vamos ver o que vai rolar na parte dois desse capítulo? *-*
vem comigo!
P.S.: Ignorem algumas partes de "comédia"
Petter, é realmente a cópia do Pai
Rolling Eyes

*




Capítulo Dois – Parte Dois


Por Caroline


Compromisso
“Pensando no futuro!”

Eu já tinha buscado o Petter e estava numa espécie de restaurante, onde também tinha um pequeno brinquedo, tipo um labirinto e escorregador, onde Petter estava.

Ali, eu tinha apenas uma frase na mente:

“— Você não se importa se algumas pessoas nos incomodarem? Ou se importa?”

Foi uma das perguntas do Bill enquanto estávamos no telefone. Eu respondi não. Mas então refleti. Tomara que eles não sejam tão famosos aqui nos Estados Unidos. Eu não quero acabar com a privacidade do Petter e também não quero acabar com a minha.

Não passou de dez minutos que eu tinha chegado e então eles chegaram.

Tom usava um par de óculos escuros, uma blusa vermelha, uma calça folgada e um tênis todo preto.

Bill usava também um par de óculos escuros, uma calça Skinny preta, uma blusa de botão cinza xadrez e um coturno.

Eles eram acompanhados por um segurança. Quando Bill me avistou, cochichou algo para o segurança e veio até mim. Tom nem me olhava.

— Oi, tudo bom? – ele perguntou e se aproximou da mesa.

— Sim e você? – perguntei e eles se sentaram.

— Estou bem, obrigado! – e sorriu. Sorri apenas com os lábios e esperei que eles começassem a falar algo.

Bill fingiu pigarrear e olhou para Tom, que olhava para suas próprias mãos. Bill cutucou-o com o cotovelo, mas ele resmungou alguma coisa inaudível e provavelmente em alemão. Então, Tom ficou extremamente sério e perguntou:

— Cadê o meu filho? – disse com firmeza.

Bill sorriu sem graça pra mim e disse:

— É… Dá-nos um minutinho? – pediu como num suplico.

— Claro! Fique a vontade! – eu disse meio estática, apenas observando Tom, que se levantou e me olhou de soslaio com expressão brava. Saiu com Bill, em direção ao banheiro masculino.


Por Tom


De irmão para irmão
“O que está fazendo Tom?”



Logo que entramos no banheiro, Bill cruzou os braços frente ao tórax e ficou me olhando com uma expressão nada agradável.

— O que é? – perguntei nervoso. Ele suspirou rapidamente e disse:

— Você está fazendo tudo errado, seu idiota! – ele disse encostando-se a pia.

— Ah Bill… Não enche! – eu disse fazendo o mesmo.

— Não enche? Ta, então… Quando você perder seu filho, não venha chorar pra mim! – ele disse gesticulando com as mãos.

Depois de um breve silêncio, eu resolvi falar:

— O que eu to fazendo de errado, hein? – perguntei desafiante. Ele me olhou incrédulo.

— Tudo… Você acha que a mulher que ta lá fora vai dar o próprio filho, por livre e espontânea vontade, pra você? Com toda a certeza que não! – ele disse e ficou se olhando no espelho.

— Me ajuda então, já que você sabe tanto como é a mente das mulheres! – falei, jogando sujo. Ele me deu um leve empurrão no braço, mas em seguida sorriu.

— Ta… Mas você tem que prometer que vai seguir todas as minhas idéias! – ele disse ainda com um sorriso no rosto.

— Ih, to lascado! – eu disse provocando-o. Ele sorriu forçadamente e então começou com o sermão, do que eu estava fazendo de errado e logo em seguida ele começou a falar o que eu devia fazer e assim, voltamos para a mesa.


Por Caroline


Considerando
“Troca de cérebros? ”



Depois de alguns minutos ali na mesa, sozinha, vendo Petter divertir-se com no brinquedo, os Kaulitz finalmente voltaram.

Tom parecia um pouquinho inseguro, mas também, parece mais confiante do que me pareceu quando chegou. Bill vinha rindo em direção a mesa.

— Nos desculpe! – disse Tom, ao sentar-se na mesa. Ele me olhou sorrindo, formalmente. Espera! O que ta acontecendo aqui?

— Ah… Ah… S-sem problemas! – eu disse meio desconfiada. Eles sorriram juntos, exatamente iguais. Naquele momento, aquilo me assustou, chegando a petrificar-me, mas logo fui tirada do transe, que a suspeita causou em mim.

— Mamãe! Olha só… Olha só isso… – dizia Petter correndo até a mesa. Ele aproximou-se e me mostrou o que trazia nas mãos. — Ela me deu mamãe! – ele disse, apontando com uma mão para uma garotinha de cabelos enrolados e com a outra me mostrou o que ela havia lhe dado.

— Isso é uma calcinha? – perguntou Tom, de forma espantada e orgulhosa.

Corei de vergonha na hora.

— Petter… É… O que ela fez? – eu perguntei com medo da resposta.

— Ué… Ela veio e me entregou! – ele disse simplesmente isso e colocou a calcinha de babados em cima da mesa.

Olhei assustada para eles. Bill olhava sem graça para Petter e Tom, fazia uma cara de decifração, enquanto apoiava o queixo sob o rosto.

— Filho… Você não a viu… Sem roupas, não é? – perguntei receosa.

— Não! – ele respondeu com naturalidade.

— Certeza? – insisti.

— Certeza! – ele disse e sorriu pra mim. Eu não consigo descrever, tamanho alivio. Suspirei feliz. Petter olhou para os dois, segui o olhar dele e Bill estava com a mesma feição, sorria sem graça, já Tom, admirava Petter.

— Mamãe… Ele é aquele homem… Que foi lá em casa? – Petter perguntou a mim, sussurrando.

— É sim meu bem, mas… Ele não vai te fazer mal! – eu disse e sorri pra ele, que devolveu o sorriso.

— É... É... Petter, não é? – Tom perguntou receoso. Petter afirmou que sim. Eu apenas observava atenta a tudo. Tom abaixou a cabeça por um instante e em seguida ergueu-a suavemente. Ele trazia um sorriso tímido e breve nos lábios. Aquele que eu vi pouquíssimas vezes e que eu adorava todas as vezes que ele me deixava deleitar.

— É… Eu… Queria pedir desculpas… Eu não queria te assustar naquele dia! – disse Tom, com os olhos mais brilhantes do que o normal. Espera! Não eram brilhantes de orgulho. Ele estava com os olhos lacrimejados? Não acredito!

Petter me olhou e em seguida encarou Tom. Eu estava torcendo para que ele fosse ao menos gentil.

— Sim… Desculpo sim, mas… Da próxima vez, bate na porta do meu quarto, ta moço? – ele disse inocente e correu pra brincar. Todos à mesa rimos do modo de falar do meu pequeno e então, o clima de “solução de problemas” voltou rapidinho.

— E então… – eu disse virando-me para eles. Tom, ainda olhava para Petter, admirado.

— Tom! – eu chamei, mas ele não respondeu. Bill cutucou-o e ele me olhou.

— Ah, desculpe! – ele disse meio desconcertado.

— É… Então… – ele começou meio confuso. Virou para Bill e disse algo em alemão, que me soou como um protesto. Bill fez um movimento com as pernas, e então Tom fez cara de dor e disfarce. Que isso? Ele pisou no pé do Tom?

— É… – Tom disse quase chorando, mas ainda sorria. Bill colocou a mão sobre a boca discretamente. Parecia-me que ele queria rir. Tom respirou fundo e disse já sério e objetivo:

— Eu vim conversar sobre a guarda do Petter! – ele disse sério, me surpreendendo. Guarda do Petter? Ué, é minha, o que você quer? Espero que não seja o que eu estou pensando.

Eu, já estava começando a suar frio, respondi:

— O que quer dizer com isso? – disse receosa.

— Que… Carol… Eu preciso dele… – Tom disse como numa suplica.

— Tudo bem Tom… Eu deixo vocês dois se verem! – eu disse com tamanha inocência, que até assustei-me.

— Eu… Não quero apenas visitá-lo… Eu quero o meu filho… – respirou fundo, como se a palavra a seguir fosse difícil de pronunciar. — Comigo! – ele disse, me deixando abismada.

— Tom… Você não… – eu tentava falar, mas ele me interrompeu, fazendo um sinal de negativo com a cabeça. O que aquilo significava? Que nada que eu falasse, faria o mudar de idéia?

— Não Tom… Você não vai levar o meu filho de mim! – disse nervosa, me levantando.

— Eu só quero ser pai Carol… Esse é o preço que vai pagar por fazer o que fez comigo! – ele disse se levantando também. Algumas pessoas nos olhavam, como se fossemos loucos.

— Tom, chega disso! Você só vai ser pai, quando entender o que é ser pai… Ser pai não é roubar uma criança do outro! – eu disse pegando minha bolsa e Petter correu até mim.

— Assim como fez comigo? É? Onde estão seus argumentos agora, hein? – ele perguntava alterado, a ponto de gritar.

— Já chega! Não vou deixar que você interfira na minha vida e na educação do meu filho! – disse saindo, carregando Petter no colo.

— É o meu direito… – ouvi-o dizer e então saímos do restaurante. Petter estava virado para Tom, e eu o senti meio confuso.

— Mamãe… Você disse que ele não ia fazer mal! – ele disse baixinho, parecendo desanimado e decepcionado.

— É meu bem… Parece que a mamãe se enganou! – eu disse levando-o para dentro do carro.

Coloquei-o na cadeirinha, no banco traseiro e dei-lhe um brinquedo. Liguei o carro e então, cheia de arrependimento, medo e incerteza, dirigi até em casa.

*


E então?


Última edição por Bia' em Seg Ago 29, 2011 9:58 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Andrea Baumann
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 450
Idade : 22
Data de inscrição : 06/12/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qua Ago 24, 2011 7:23 pm

gostei Smile

arrg Tom, deixa o menino ficar com a mãe vai, ou melhor fica com ela fica, e forma uma familia feliz doce

err esste Tom tem de ser mais compreensivo e se acalmar um pouco, nao pode chegar e ir levando o menino assim a toa nao o.o

continua liebe, cada vez amando mais sua historia:)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://andrea-bm.tumblr.com/
lowkaulitz

Fã


Número de Mensagens : 122
Idade : 20
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 30/06/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qua Ago 24, 2011 8:44 pm

AAAAAAAAAAAAAh Idiota, ela ia deixar você ver o Petter, ta bom até demais Tom u.u
- Você acha que a mulher que ta lá fora vai dar o próprio filho, por livre e espontânea vontade, pra você? Com toda a certeza que não!
Como diz a Andrea Baumann, fica com ela eu e forme uma familia feliz *-*
CONTINUA BLUME!


Última edição por lowkaulitz em Qua Ago 24, 2011 8:55 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pah Kaulitz

Fã


Número de Mensagens : 151
Idade : 19
Localização : Humanoid City!
Data de inscrição : 15/06/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qua Ago 24, 2011 8:48 pm

UUUUUUUUU Liebe ameei!
Tom seu canalha, o filho é da Carol (e seu tbm, mas não vem ao caso) e vce não pode tirar ele dela!
Por mais q ela tenha te enganado quando escondeu o Petter de vce, mas.. vce não tem o direito. #RUM!
Continuaaa!!!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sara Kaulitz2
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1172
Idade : 19
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 22/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qua Ago 24, 2011 11:20 pm

Andrea Baumann escreveu:
gostei Smile

arrg Tom, deixa o menino ficar com a mãe vai, ou melhor fica com ela fica, e forma uma familia feliz doce

err esste Tom tem de ser mais compreensivo e se acalmar um pouco, nao pode chegar e ir levando o menino assim a toa nao o.o

continua liebe, cada vez amando mais sua historia:)
Pois é...
Desculpa meu supeer atraso liebe, adorei os capítulos
Continue! :}
Voltar ao Topo Ir em baixo
Evelyn Kaulitz
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1040
Idade : 20
Localização : PE
Data de inscrição : 21/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Twitter

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qui Ago 25, 2011 9:44 pm

Tô rindo da calcinha, uahsuahsuahushaush'
Tô amando, continue.
Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://p-a-r-a-d-i-s-e.tumblr.com/
Thamiii
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 679
Idade : 20
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 23/01/2009

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Sab Ago 27, 2011 9:53 am

Ai Tom, vai formar uma familia feliz com a Carol, eu sei que você quer! JAOPSJOPAJP
Tadinho do Petter, ele vai acabar querendo matar o Tom quando crescer. PAOSJPOASPOA
Adorei esse capitulo! *-----*
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://in-alcancavel.tumblr.com/
Streetwalker
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 543
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 03/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Seg Ago 29, 2011 10:44 am

Primeiro
Desculpa pelo super atraso liebes
eu tava postando a outra e escrevendo umas partes mais complicadas dessa, por isso me atrasei, mas eu cheguei *o*

Agora, bora responder os recadins HUEHUEHUE'


Andrea: HUAHUA' será que ele vai fazer isso? quem sabe, né? Rolling Eyes eu sei HUAHUA'
é, mas por que será que ele quer levar o Petter, hein? hm'

Ah, obrigada liebe, continuo sim sim Very Happy


Low: HUAHUAHUA' é Tom, deixa de ser bobo e aceita logo o que ela ta propondo, to avisando u.u'
HUAHUAHUA' Bill, anjinho fofo, ajudando o irmão *o*
HUAHUAHUA' vamos descobrir Very Happy Very Happy


Pah: mein blume Very Happy
HAUHAUAHAUHAUHA'
pode deixar flor :}


Sah: Que isso liebe, não precisa se preocupar, eu já fico felizona por você ler *--*
oh ja, continuo sim sim *o*


Eve: HUAHUAHUAHUA' éé Rolling Eyes
Petter realmente puxou ao pai 'o'
HUAHUAHUAA'
obrigada liebe!


Thamiii: HUAHUAHUAHUA' quer Tom, quer? =)
HUAHUA' o Petter vai ter trauma de pais HUAHUAHUA'
Obrigada por ler liebe *o*

well, vamos para mais um pedacin da história, me acompanham? *o*

*






Capítulo Dois – Parte Três



Por Caroline

Privacidade?
“Algo que não recuperarei tão cedo!”

Depois de minha “conversa” com Tom, Petter e eu voltamos para casa. Petter aparentava normalidade.

Chegamos e eu levei-o para tomar banho. Enquanto ele cantava na banheira e eu o esfregava, o telefone tocou.

— Fica aqui filho! – eu disse lavando minha mão na pia e desci até a sala, peguei o telefone e fui atender perto da porta do banheiro, pra olhar o Petter.

— Alô! – atendi.

— Boa tarde! Aqui é Beckie Johnson, sou repórter do canal seis e eu gostaria muito de falar com Caroline Raynes! – uma voz chata e um tanto fanha, disse num tom de alegria.

— É… O que querem? – perguntei meio desconfiada.

— Ah… Eu prefiro falar diretamente com ela, é possível?

— Pode falar, sou eu, Caroline!

— Ah, então Caroline… eu ligo para perguntar, se você estaria interessada numa entrevista conosco!

— O que? Entrevista sobre o que?

— Uma entrevista sobre sua vida!

— Beckie… Diz… Sobre o que é o assunto da entrevista?

— Bom… É… Seu relacionamento com Tom Kaulitz!

— O que? Que relacionamento? Tom e eu somos apenas conhecidos! – eu disse já me alterando.

— Então… Não tem nada a declarar sobre isso?

— Não… Não tenho… Olha… Eu vou desligar! – disse já pronta para apertar o botão e cortar a chamada.

— Caroline, pense bem… Deixe que o mundo saiba quem você é por você mesma! – ela insistiu. Eu estava com uma vontade quase incontrolável de dizer um palavrão pra ela. Aquela voz irritante e tudo estavam me deixando perplexa.

— Não… eu não quero! – e desliguei. “Canal seis, um canal de fofocas… Que maravilha!”. Quanto tempo vai demorar pra começarem a me infernizar? Acho que essa é só a primeira. Ah, Deus! Dai-me paciência! Logo, tudo vai ser público. Espero que eu esteja errada.

Fiquei na porta do banheiro, observando Petter, atentamente. Ele dançava de um lado para o outro, dentro da banheira, jogando espuma para todos os lados.

Ali, refleti: Por que Tom queria fazer isso comigo? Por que queria tirar Petter de mim? Não era só por “pagar na mesma moeda”! O que estava por trás daquela ação? Magoa, talvez? Eu não sabia ao certo, porém, sabia que era algo importante, e era esse “algo importante” que mantinha Tom, tão firme sobre o assunto da guarda do Petter.


Teste
“Vai acabar com o tormento!”


Era uma manhã normal e calma. Ainda estava cedo e Petter e eu já estávamos fora de casa.

Chegamos a clinica às 08h00min. Logo em seguida, fomos chamados e entramos na sala.

— Mamãe, por que eles vão me furar? – Petter questionou dengoso, ao sentar-se na poltrona branca, frente à enfermeira, que sorria para ele.

— É coisa de gente grande, meu bem, mas é pro nosso bem, ta? – falei tentando acalmá-lo. Ele sorriu pra mim e então a moça perguntou se ele precisaria de uma agulha específica. Respondi que não e então ela foi até a pequena mesa, onde estavam aquelas coisas de médico.

— Então… É agora, mamãe? – ele me perguntou com lágrimas nos olhos.

— É, mas tudo vai ficar bem, ta? É só uma pontadinha, que você vai sentir, depois agente pode sair, você quer? – disse sentando ao lado dele e segurando o outro braço. Ele balançou a cabeça em sinal afirmativo e então a enfermeira voltou.

— É só uma pontadinha, ok? Não vai doer nada! – ela disse e Petter fechou os olhos e balançou a cabeça freneticamente.

Ela me olhou sorrindo de lado e então levou a agulha até a veia. Droga! Como a Bia me convenceu a vir aqui, hein? Apesar de que ela… Ela estava certa, isso é o certo a se fazer e também era o necessário. Eu estava nervosa também, talvez, mais do que o próprio Petter, mas eu não podia demonstrar. Ele uniu as sobrancelhas e então o sangue começou a ser armazenado na seringa. Ele permanecia de olhos fechados, apertando minha mão. Depois de alguns minutos, que mais pareciam uma verdadeira eternidade, ela tirou a agulha e colocou o algodão no local.

Ele olhou pra mim, com um biquinho nos lábios e uma lágrima escorrendo livremente.

— Você ta me devendo muitos Mc Lanches Felizes, ta? – ele disse descendo da poltrona.

— Ah, meu amor… A mamãe compra, ta? A mamãe compra sim! – eu disse abraçando-o fortemente.

Depois de resolvermos os papéis que faltavam, Petter e eu saímos de lá e fomos em direção a um restaurante.

Por lá, ficamos por um tempo. Eu fiquei olhando-o. A idéia de que Tom queria meu filho não saía da minha mente. Será que ele não percebia que Petter era minha vida? Será que ele não percebia o quanto Petter significava pra mim?

Bom, eu só espero que, ele mude de idéia. Eu não estou sendo egoísta, ele pode vê-lo quando quiser, mas ele não vai tomá-lo de mim. Não vai mesmo.


Conseqüências
“A carta que nunca deveria ter sido aberta!”


Já haviam se passado alguns dias desde que Tom invadiu minha casa. Eu não dei parte na polícia, obviamente. Eu não queria que o Petter tivesse o Tom como pai, agora imagine o Tom como pai e ainda preso.

Petter já estava começando a entender o que havia se passado naquele dia, mas ele ainda tinha muitas dúvidas.

Era uma segunda-feira tranqüila e feriado, de sei lá o que. Bia havia dormido em casa e estávamos todos tomando café na cozinha. De repente, na pequena TV que ficava sobre o balcão de mármore, passou um comercial de um carteiro qualquer e então, me lembrei que eu não olhava a caixa do correio há alguns poucos dias.

Levantei-me da mesa e Bia me olhou em seguida.

— Aonde vai? – ela perguntou curiosa.

— Vou ver a caixa do correio… Faz mais de três dias que não olho por lá. – disse e fui em direção à sala.

— E o que vamos fazer Tia? – Petter perguntou para Bia, que o pegou no colo.

— Que tal ver um pouco de desenhos, lá na sala hein? – ela disse desligando a TV da cozinha e indo para a sala. Eles sentaram-se no sofá e então eu saí.

Estava uma linda manhã, sol fraco, brisa suave e quase nenhuma nuvem no céu. Caminhei até a caixa e a abri. Lá estavam por volta de seis envelopes. Cinco eram conhecidos pra mim, mas o ultimo e maior, não. Estava escrito em letra grande e bem legível: Tribunal Estadual de Nova Iorque.

— Ah não… Não… Não pode ser… – eu dizia enquanto rasgava o lado esquerdo do envelope.

Enquanto caminhava para dentro da casa, eu lia o que estava escrito no grande e fino papel cor creme que estava dentro do envelope.

Entrei e não fechei a porta, eu estava perplexa com o que estava dizendo ali. As risadas dos dois estavam altas, mas foram cessando.

— Carol, o que foi? – Bia perguntou em tom preocupado. Ergui minha cabeça e respondi.

— É do Tribunal… Estão me convocando para uma sessão de pose sobre a custódia do Petter. – eu disse apenas pra ela entender. Ela levantou-se do sofá e caminhou até mim.

— Meu Deus! E quando vai ser? – ela perguntou olhando o papel.

— Daqui uma semana. – eu disse deixando- me cair na poltrona que ficava ao lado do aquário de peixes.

— Não se preocupa… Nós vamos enfrentar isso… Faremos o possível… Por aquela coisinha fofa ali! – ela disse olhando sorrindo para o Petter.

— Nós vamos… Vamos sim… Por ele. – eu disse observando-o também. Eu tinha tanto medo de perdê-lo. Se isso acontecesse, eu não sei o que seria de mim.

*


Grandes emoções no próximo capítulo...
A postagem dele, depende dos comments de vocês Rolling Eyes
Continua?


Última edição por Bia' em Seg Ago 29, 2011 7:41 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Andrea Baumann
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 450
Idade : 22
Data de inscrição : 06/12/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Seg Ago 29, 2011 12:18 pm

Beckie Johnson , sua intremetida :x

carta do tribunal ? o.o
aggrr deve ter sido o Tom só pode ..
Tom , para que ir ao tribunal, enquanto você pode resvolver isso na boa .?
você assim só complica mais as coisas, e faz com que ela tenha raiva e ódio a você, e o pequeno pensar que você é do mau :x

continua querida Very Happy


Última edição por Andrea Baumann em Qua Ago 31, 2011 1:25 am, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://andrea-bm.tumblr.com/
Evelyn Kaulitz
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1040
Idade : 20
Localização : PE
Data de inscrição : 21/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Twitter

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Seg Ago 29, 2011 7:32 pm

Como é que é? Você parou? AAAAAA*
Continua logo Bia, estou ansiosa... Preciso de mais capítulos, haha'
Fortes emoções? Hum... Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://p-a-r-a-d-i-s-e.tumblr.com/
lowkaulitz

Fã


Número de Mensagens : 122
Idade : 20
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 30/06/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Seg Ago 29, 2011 8:54 pm

— Você ta me devendo muitos Mc Lanches Felizes, ta? HAUSHAUSAHSUAHSU Como o Petter é fofo, diferente do pai -.-
Me diz que o tom vai mudar de ideia, e vai para de se fazer de mau, e dizer logo que AMA a Carol u.u RUM Mongoloide!
CONTINUA Very Happy
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pah Kaulitz

Fã


Número de Mensagens : 151
Idade : 19
Localização : Humanoid City!
Data de inscrição : 15/06/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Seg Ago 29, 2011 9:00 pm

Aaaaii meu Deus, o Petter é tão fofinho *-*
Cara, o Tom é mtu filho da **, pra que ele quer tirar o filho da Carol meu? Vai cagar!
Continua Liebe!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Convidad
Convidado



MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Ter Ago 30, 2011 2:30 am

Embarassed
Então né, finalmente apareço por aqui né Bia' Embarassed
Desculpe a demora Very Happy
Nossa e essa fic heim? Perfeita.
Nunca tinha imaginado uma continuação como essa, muito menos a reação do Tom.
Estou amando a continuação e espero que você poste mais logo.
Küsses até logo...
Ahh o Petter não nega o pai que tem né hehehe.
Voltar ao Topo Ir em baixo
D'Julia kaulitz
Fanática
Fanática


Número de Mensagens : 1573
Idade : 20
Localização : Curitiba
Data de inscrição : 13/08/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Ter Ago 30, 2011 9:32 pm

continua please...
o tom apelou pro tribunal? O.O
so quero ver o que vai ser....
Voltar ao Topo Ir em baixo
LavinyBkauTkauGG
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 524
Idade : 20
Localização : Onde judas perdeu o par DIREITO das botas
Data de inscrição : 08/10/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Outro

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Seg Set 05, 2011 3:52 pm


desculpinha a demora tava sem net
Bia a para ea seguinte eu to achando que você anda querendo me matar com esses capítulos Suspect
eita como vai ser essa historia de tribunal study
cara os Kaulitz são Phoda néahh
cheers
ahha Petter muito fofo
doce
Voltar ao Topo Ir em baixo
Sara Kaulitz2
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1172
Idade : 19
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 22/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Site TH BRASIL

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Seg Set 05, 2011 4:52 pm

Citação :
— Você ta me devendo muitos Mc Lanches Felizes, ta? – ele disse descendo da poltrona.

Aii cara, que fofinho! *-* Eu ri nessa parte.
OQUE? não é mais fácil os dois se acertarem logo sem precisar ir à um tribunal?
Ah Tom, precipitado u.u
Agora o fofinho (lê-se Petter Smile ) vai pensar que você é mal, mas também né...
Tadinha da Carol, :"(
UUH fortes emoções? poste logo liebe! *-*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Streetwalker
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 543
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 03/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qui Set 08, 2011 12:40 pm

Mil desculpas minhas flores do campo -q
Eu sei que eu demorei pakaaaaaaaaaaaaaaas, mas é por uma boa causa Very Happy
Eu queria que esse capítulo saísse pelo menos bom, por isso a demora e nem sei se tá tão legal assim ç.ç'
Mas eu não posso embaçar a vida toda né? Não vou matar a low do coração lalala Razz
Pois então, vamos aos recadinhos e logo mais, o capítulo TRÊS parte um, terá continuidade por aqui *--*

Andrea: HAUSHAUSHAUS'
trabalho né? fazer o que?! Mas sim, essa Beckie ai é a maior chata #RUM
É, o Tom ta tentando "coisas" do jeito errado Rolling Eyes
É, se ele quer a guarda do Petter, não pode ser na boa, mas por que será que ele ta tãããão decidido hein?
hm'
Será que a Carol tem raiva e ódio do Tom?
E o Petter? Como ele vê tudo isso?
Gabarito a baixo Razz

Eve: HAUSHAUSHAUS' não morre amoor, não morre! Razz
ok ok minha blume, continuo sim Very Happy

Low: HAUSHAUSHAUS' calma calma Low, tudo a seu tempo!
eu sei que o Tom vai fazer a coisa certa, mas pra ele, qual é a coisa certa? scratch
hm'
veremos o que o mongolóide do Tom vai aprontar agora Rolling Eyes

Pah: *--*
HAUSHAUSHAUSAUS' da Simone, como diz a Low Razz
hm' por que?
O Tom é tão coitado né?
Eu não tenho dó dele não #RUM U.U HAUSHAUSAUS'
sim sim marida Very Happy

Adri: Adriiiiiiiiiiiiiiiii *--------------------*
aaaah liebe, que bom que você apareceu *-*
Que isso, você estando aqui é o que importa *--*
Ah, obrigada blume *o*
é, eu mudei um pouco o rumo da história, ta, confesso, mudei muito o seguimento. U.U
Mas se vocês gostam, é o importante *-*
Ah liebe, danke danke danke Smile
Küsse liebe
HAUSHAUSHAUS' e tem como? DNA filho da mãe --' HAUSHAUSA'

D'Julia: Hallo liebe, seja bem vinda por aqui *-*
aaah sim, pode deixar liebe
e muito obrigada por ler *--*
Ah é, esse Tom viu?!
Se ele não pode, foi procurar quem pode D:
é, oremos*

Laviny: Que isso liebe, sem problemas, viu?
O bom é que você apareceu *-*
HAUSHAUSAUS' matar você? nunca liebe Sad hoho'
é, vai ser tenso u_u'
HAUSHAUSHAUS' são sim *--*
Petter um amorzinho *--*

Sah: aaaah, o Petter é muito cute *-*
é, mas o Tom ta difícil, viu?! Vou te falar, dá logo uns pega na Carol e se casa com ela Razz
Orra, o Tom só ta pensando nele, e no agora, porque do jeito que ta, o Petter vai "amá-lo" pra caramba ¬¬ e eu vou rir disso HAUSHAUSAUS'
é, a Carol só sofre nessa história toda Crying or Very sad
Pooow Tom, se liga né? #RUM
uuuu, fortes emoções, mas o que será? scratch

Bom, aqui está a primeira parte do capítulo três, que, lembrando é o ultimo capítulo u_u'
ou seja, este é o antepenúltimo capítulo Sad Sad
P.s.: Capítulo ultra grande, então, antes de começarem, respirem fundo e... SE JOGUEM {yn'


*





Capítulo Três – Parte Um



Dor
“Levaram minha vida!”


Já era noite. Petter e eu estávamos juntos assistindo TV, no sofá da sala. Quando bateram a porta.

— Srta. Raynes? – a moça perguntou quando abri a porta. Estranhei, ela estava bem vestida e parecia estar trabalhando.

— Sim! – disse confusa.

— Sou Madeleine Portman, do Juizado de menores e vim buscar Petter Raynes! – ela disse séria, sem rodeios. Meu coração parecia querer saltar pela boca.

— C-como é? – perguntei abismada. Eu não podia acreditar em meus próprios ouvidos.

— Srta. Raynes, O Sr. Kaulitz deu queixa na polícia… Este é apenas meu trabalho… A Srta. Já foi convocada para a primeira sessão no tribunal, estou certa?

— S-sim, mas… O que isso tem a haver com você querer levar meu filho? – eu questionava confusa.

— Eu não posso deixá-lo sob sua responsabilidade Srta. Raynes, até que o Juiz faça seu decreto. – ela disse passando porta à dentro.

— Não… Não… – eu disse tentando impedi-la.

— Mamãe! – Petter disse quando ela aproximou-se dele. Um homem alto e forte passou pela porta e fez sinal para Madeleine.

— Vamos querido! – ela disse segurando a mãozinha de Petter, que tentava me alcançar.

— Não o levem… Por favor… Não o levem… – pedia já em prantos, enquanto o homem forte posicionou-se ao meu lado.

— Não torne as coisas mais difíceis do que já são moça… – ele disse segurando meu ombro.

— Me larga! – eu disse saindo de perto dele, enquanto olhava Petter ser levado por Madeleine.

Eles estavam quase chegando ao carro, quando Petter soltou-se das mãos dela e correu até mim. Abraçou-me as pernas, chorando e eu estava no mesmo estado. Ajoelhei-me lentamente, até adquirir seu tamanho e disse:

— Filho… A mamãe promete que tudo vai ficar bem, ok? Agora, você fica calmo, que logo você vai estar de volta pra cá, ta bom? Promete pra mamãe que você vai ser forte? Promete que você vai ser forte pela mamãe? – eu já deixava meu desespero aparente, enquanto acariciava os cabelos dele, lentamente.

— Eu prometo mamãe… Se você prometer ir me buscar logo! – ele disse triste. Tampei minha boca e segurei o choro incontrolável que eu senti que viria. Abracei-o inibindo meu choro e disse:

— A mamãe promete! – e então Madeleine apareceu e tirou-o dos meus braços, levando minha vida com ela.

Vi Petter entrando no carro. O homem se aproximou e deu-me um cartão pequeno.

— Mande as roupas e as coisas dele pra esse endereço! – disse e saiu.

Deixei-me cair no chão pesadamente. Eu não queria levantar, não queria mais levantar e ser derrubada por um dos golpes mais fatais para mim.

Permaneci ali por horas, chorando por meu filho, até que parei e fiquei como um vegetal, sem falar, me mover. Meus movimentos eram os básicos. Eu piscava pesadamente, respirava pesadamente e assim, minha visão foi ficando turva, enquanto a dor de cabeça me dominava. Ali, adormeci reduzida ao nada, reduzida ao zero, sem meu Petter, eu sou como um mero vegetal.


Erga-me
“Quando nada parece o bastante pra me sentir bem!”


Eu discava os números desesperada. Eram 03h00min da manhã e eu tinha acordado assustada. Eu não conseguiria sem ele, não conseguiria sem Petter.

Chamou, chamou, chamou. Até que atendeu.

— Alô! – respondeu com uma voz de sono.

— Bia… Bia… Ajuda-me! Levaram o Petter! – eu disse desesperada.

— Carol? O que? Como assim?

— Duas pessoas, do serviço social… chegaram e o levaram!

— Não, mas…

— O Tom deu queixa na polícia!

— Não acredito! Ele não fez isso?

— Não só fez como teve a coragem de deixarem que levassem meu filho! – eu disse já chorando.

— Espera… Fica calma! Eu to saindo de casa, já chego ai… O Tom vai se arrepender de ter feito isso!

— Ta! – disse e desligamos.

Sentei-me no sofá, enquanto era incontrolável não mexer a perna, de tanto nervoso. Depois de alguns minutos, ela chegou. Por sorte, a casa dela era bem próximo da minha casa.

— Carol! – ela chamou na porta e eu a abri. — Me conta tudo! – ela disse me abraçando.

Passamos um bom tempo, conversando sobre o ocorrido. Ela me disse que, com certeza, ele entraria na justiça. Isso me assustou, mas o pior era o fato do meu bebê, meu Petter, que nunca ficou tão longe de mim, ter de dormir num “orfanato”. Era o fim do meu bem estar e assim, o fim do bem estar do Tom.


Visita
“Encarando a verdade!”


Passaram-se no máximo dois dias. Eu estava completamente aflita, quando recebi uma ligação do Bill.

— Bill… Você disse que não deixaria um dos lados sofrer com as mudanças e agora levaram meu filho…

— Carol… Eu fiz o possível, mas essa é a vontade do Tom, ele quer o menino com ele! E também isso é temporário, logo o Petter vai sair de lá.

— Não Bill… Eu to cansada desse jogo do Tom, ele pensa que eu to brincando? Porque ele ta brincando comigo!

— Não Carol… Ele ta levando tudo a sério, eu te garanto.

— Pior ainda… Bill… Deixa, conversamos sobre isso depois… Eu não to bem, preciso desligar!

— Olha… Eu sei que o Tom não quer que eu diga, mas eu vou dizer… Você procurou pelo Petter, não é?

— Procurei, deixei as coisas dele e me mandaram embora! Eu queria tanto poder vê-lo… É muito difícil pra mim e deve estar sendo muito mais pra ele.

— Não se preocupe, vá lá hoje… Eu sei que você vai conseguir vê-lo!

— Ué… Mas…

— Vai por mim… Você vai conseguir… Saiba que as coisas que o Tom anda fazendo, não têm o meu apoio… Não todas!

— Obrigada Bill… Obrigada! – agradeci e desliguei.

Olhei nos relógio, faltava pouco para as 14h00min. Sorte que meu chefe, tinha me dado alguns dias de folga, para resolver os problemas que estavam a me rondar.

Peguei minha bolsa e o carro.

Dirigi ansiosa. Não demorou muito para que eu chegasse. Logo, desci do carro e me dirigi à entrada.

— Boa tarde! Eu vim visitar meu filho! – disse na entrada, onde já tinha uma recepcionista.

— Ah, boa tarde! Você ta um pouco atrasada, mas ainda tem tempo! Qual o nome da criança? – ela disse simpática.

— Petter Raynes Dappher! – eu disse e ela olhou em seu computador.

— Encontrei! Seu RG, por favor! – ela disse e entreguei o documento a ela.

— Ok! Assine aqui e pode entrar! – ela disse e me entregou um papel.

Assinei, peguei meu documento e então, pude passar pela entrada. Tudo parecia bom, era um lugar muito amplo, onde algumas crianças brincavam no pátio.

Eu olhava para todos os lados, mas não o encontrava. De repente, alguém pequeno esbarrou em mim. Olhei para baixo e era uma garotinha. Abaixei-me e fiquei do tamanho dela.

— É… Você… conhece algum Petter, que está aqui? – perguntei. Ela me olhou curiosa, mas então apontou para um banco, perto de uma árvore, no fim do pátio.

Lá estava meu Petter sozinho, virado de costas para todos. Aproximei-me devagar.

— Petter! – chamei por ele. Ele virou-se para mim e quando percebeu que era eu, abriu o maior sorriso.

— Você veio! – ele disse e correu para me abraçar. Meu coração apertou. Eu não podia levá-lo comigo, apesar daquela ser minha verdadeira vontade.

— Ah meu bem! A mamãe sentiu tanto a sua falta! – disse abraçando-o forte. Eu sentia toda a nossa saudade, sendo demonstrada, naquele abraço tão esperado.

— Eu também mamãe… Senti muito a sua falta! – ele disse, saindo do abraço.

— Tudo bem aqui? As pessoas daqui são boazinhas? – perguntei preocupada.

— Sim mamãe, aqui é legal, mas mesmo assim eu quero ir embora! Que bom que você veio me buscar! – ele disse com um enorme sorriso no rosto. Meu coração se quebrou em mil pedaços, eu teria que contar a verdade pra ele.

— Filho… A mamãe ainda não pode te levar! – eu disse com cuidado, me segurando para não chorar.

— Por quê? – eu já conseguia ver as lágrimas nos olhinhos dele.

— Porque estamos resolvendo alguns assuntos! – eu disse receosa. Eu estava com medo de contar toda a verdade para ele. Ele era muito novo, ele tinha mais chances de não entender.

— Mas você nunca precisou me abandonar para resolver essas coisas de adultos! – ele disse já fazendo bico, enquanto várias lágrimas escorriam pelo seu rosto. Aquilo era pior do que tudo que eu havia passado até ali. Foi mais doloroso que ser abandonada pelo Tom, mais doloroso do que aceitar a idéia de sozinha, ter de criar um filho e também foi mais doloroso do que o abandono do meu próprio pai, aquele que me deixou, quando descobriu que eu estava grávida e que futuramente, seria mãe solteira.

— Não é isso Petter, a mamãe te ama, eu nunca deixaria você, nunca te abandonaria…

— E por que eu vou ficar aqui sozinho?

Respirei fundo. Era a hora de dizer o que havia acontecido e o que estava acontecendo.

— Filho… A mamãe está lutando por você, para o seu bem… Você se lembra do seu papai?

— Aquele que estava longe, mas que eu ia ver algum dia é?

— Esse mesmo… Ele era aquele moço que entrou lá em casa e agora, ele quer ficar com você!

— E o que tem de errado nisso, mamãe?

— É que… Ele quer levar você com ele, porque ele não quer que você fique com a mamãe!

— Por quê?

— Porque a mamãe te levou pra longe dele!

— Por quê?

— Porque a mamãe sabia que mais cedo ou mais tarde, ele viria pra te buscar, pra levar você embora, pra levar você pra longe da mamãe!

— E por que ele quer fazer isso?

— Porque foi o que a mamãe fez com ele!

— Então ele não me ama? Ele só quer te deixar triste?

— Não meu bem, ele te ama, mas ele não liga para a mamãe…

— Mas vocês não podem me dividir?

— O seu pai não considera isso como uma coisa que possamos fazer!

— Por quê?

— Eu não sei meu bem… Seu pai parece ter mudado!

— Ou, ele só quer esconder o que ele é, de você! – petrifiquei-me instantaneamente. Limitei-me a fitá-lo estranhamente. Talvez ele estivesse certo.

— Eu não sei… Pode ser! Mas, eu quero que você saiba que a mamãe te ama demais e que eu vou fazer de tudo para que você fique comigo!

— O bom será, se vocês não brigassem… Você disse que brigar é ruim, disse que não faz bem pra gente!

— É, mas é complicado!

— Eu acho que não! – ele disse limpando o rosto, das lágrimas já secas.

— O horário de visita acabou! – uma mulher avisou no alto-falante.

— Ok meu amor! A mamãe vai, mas eu prometo que eu volto ok? E fica calmo, ta? Você não vai ficar muito tempo por aqui!

— Ok mamãe! Não se preocupa, ta? Eu to bem! – ele disse me abraçando fortemente.

— Te amo demais! Tudo vai ficar bem! – eu abracei-o novamente e me levantei.

— Eu volto! – eu disse me afastando.

— E eu vou te esperar mamãe! – ele disse sorrindo.

Sai atordoada de lá. E ainda agradecia a Deus, por Petter ter ao menos entendido tudo, bem demais, para o que eu esperava.

Passei pelo grande portão e então vi a ultima pessoa que eu queria ver naquele momento. Tom. Ele parecia discutir com a recepcionista.

— O que você ta fazendo aqui? – perguntou pra mim, enquanto se aproximava.

— Não te interessa! – eu disse tentando passar, mas ele não deixou!

— Ah, então quer dizer que agora você se importa com ele?

— Do que você ta falando?

— Se você realmente se importasse com ele teria deixado-o crescer com o pai do seu lado!

— Foi exatamente por me importar demais com ele, que o deixei longe de você! – e sai de lá,
extremamente nervosa.

— De que adianta? A guarda vai ser minha! – ouvi-o gritar para mim.

— Vamos ver! – eu disse e entrei em meu carro!

Eu não podia mais agüentar tudo que o Tom estava fazendo, eu precisava de apoio, de todos aqueles que poderiam me apoiar!
Voltar ao Topo Ir em baixo
lowkaulitz

Fã


Número de Mensagens : 122
Idade : 20
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 30/06/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qui Set 08, 2011 12:43 pm

Nossa, o Petter é muito inteligente que lindo.
Poxa Tom, que isso, de onde vem todo esse ódio, só porque ela te deixou?
Para de ser otário e resolve isso de outra forma! #senãovoumadartematar Smile hehe'
Continuaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Pah Kaulitz

Fã


Número de Mensagens : 151
Idade : 19
Localização : Humanoid City!
Data de inscrição : 15/06/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?:

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qui Set 08, 2011 4:22 pm

Oh my god como o Petter é fofooooooooooooooo *-*
Meu Deus Bia, é melhor vce começar a mudar o Tom nessa história pqe eu to pegando um ódio dele que eu vou te contar viu!
Quem ele pensa que ele é para falar assim com a Carol hein?
Ele que me aguarde!
kkkkkk
Ta esperando o que? Continuaaa!
Voltar ao Topo Ir em baixo
Andrea Baumann
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 450
Idade : 22
Data de inscrição : 06/12/2010

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qui Set 08, 2011 5:43 pm

gostei Very Happy

Tom neste momento te odeio"mentirinha xD" pelo que voçê esta a fazendo passar :x
pareçe que ele está mesmo decido em ir em frente com o assunto de lhe tirar a guarda do menino :/

ainda nao etendi porque ele nao reslve de uma vez ficar com ela lallaa "sim sonho muitão xD" huahua

peter é um fofinho "quero-o para mim" :*-*:


continua liebe Very Happy
esta tua fic vicia garota Smile
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://andrea-bm.tumblr.com/
Evelyn Kaulitz
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 1040
Idade : 20
Localização : PE
Data de inscrição : 21/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Twitter

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Qui Set 08, 2011 7:28 pm

Qual é a do Tom? Cara chato do caramba!
awn *-* O Petter, tão lindo! Very Happy
Quero que o Tom vá atrás da Carol, é.
Continue liebe, tô amando. Smile
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://p-a-r-a-d-i-s-e.tumblr.com/
Thamiii
Mega Fã
Mega Fã


Número de Mensagens : 679
Idade : 20
Localização : São Paulo
Data de inscrição : 23/01/2009

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Dom Set 11, 2011 4:44 pm

AAAAAAAAAH COMO O PETTER É FOFO E COMPREENSIVO! *-------*
Vou aparecer na fic só pra rapta-lo para mim. u_u

Estou ficando com raiva desse bandido do Tom! >< Ele nem sabia da existência do menino agora quer dar uma de bom pai! ~mata ele~
No fundo, do fundo, do fundo, o Tom só tá fazendo isso para ficar com a Caroline! ~pena que ele fazendo isso que ele tá fazendo só tá dando motivos para ela odiar ele~

E a Carol tá ficando caidinha pelos atos do Tom. Humm, isso tá! Principalmente depois do que o Petter disse:
Citação :
— Ou, ele só quer esconder o que ele é, de você!

Ai Ai viu... Poste flor, poste! *---*
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://in-alcancavel.tumblr.com/
Streetwalker
Big Fã
Big Fã


Número de Mensagens : 543
Localização : Humanoid City
Data de inscrição : 03/05/2011

Minha ficha
Como conheceu o fórum?: Buscador

MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Ter Set 13, 2011 11:08 pm

Oie minhas perfaas, como estão? Bem bem? Smile
Vim aqui pra trazer mais uma parte da história *--*
Lembrando que o próximo post, sem ser esse, será o final! Sad Sad
E então, bora pros recadinhos:



Low: néah? Ele é super avançado pra idade dele *--* Que cute!
HAUSHAUSAUS' é low, só por isso HAUSHAUSHAUS'
hahahaha' é Tom, toma jeito #RUM

Pah: *ooooo*
HAUSHAUSHAUSAUYA' É temporário amor, logo logo ele toma vergonha na cara, ou não oO
HAUSHAUSHAUSHSU'
ok amor!

Andrea: HAUSHAUS' jájá vocês começam a entender meus amores, acredito que não seja algo tão complicado.
Oh sim, o Tom está realmente querendo isto, mais do que nunca, mas, por que? hm' hm'
ooown' é verdade, tem criança mais fofa que o Petter?
Só a minha filha u_u'
HAUHAUHSUAHUAH'
Vocês logo a conheceram, fiquem ligadas {yn'
aaah, obrigada girl, fico super feliz que você esteja gostando *--*

Eve: HAUSHAUSHAUSHAUS' É, nessa fase, o Tom ta chato pra cacete u_u'
Petter, te amamos :*-*:
aaaah éhhm, acho que todos concordamos \o
Vamos fazer uma campanha ;p
ok minha blume, continuo sim ;*

Thamiii: *------------* ele é demais :*-*:
HAUSHAUS' aiai, todos estão "adorando" o Tom, é! HAUSHAUSAS'
é, mas a Carol foi má com ele, por isso ele não sabia, mas, ele ta querendo ter demais com esse guri, não acha?
Por que será?
hm' hm'
huuuuuum' Será que você ta certa liebe? Rolling Eyes HAUSHAUSHAUS'
Até o Petter ta vendo, fala sério silent
E esses dois ai brigando pra ver quem cede primeiro u_u'
Ops... kkk
posto sim flor, pode deixar!

P.s.: Capítulo tenso e um pouquinho triste, pelo menos pra mim, mas eu sou uma manteiga derretida, então leiam e digam se estou certa, ou não ~.-
Enjoy!

*



Capítulo Três - Parte Dois



Por Caroline


Nervosismo
“Nada pode dar errado!"


Estávamos todos no tribunal e faltava pouco para a sessão ter início. Do lado esquerdo estavam todos os presentes a favor de Tom. Os garotos da banda, o irmão, a mãe e o padrasto ocupavam a primeira fila, mais próxima de Tom.

A propósito, este vestia roupas bem diferentes das de costume. Ele usava uma calça jeans em tom de azul petróleo, uma blusa social azul com listras horizontais e um blazer marrom. Eu nunca tinha o visto tão apresentável. Ele estava com seu advogado, que não me pareceu nada amigável.

Ao meu lado, estava minha advogada, Bia, que mantinha uma postura impecável, desde que adentramos o tribunal. Ela parecia muito confiante, de que iríamos ganhar a causa. Petter estava na sala das testemunhas, se tudo corresse rapidamente o chamaríamos para depor.

Finalmente depois de alguns minutos, a juíza apareceu e assim a sessão começou.
Por Tom

Determinação
“Isso nunca vai acabar!"


E então a juíza se sentou e todos também. Olhei pra Caroline sem que ela percebesse e analisei-a mais uma vez. Ela estava toda de social, um conjunto preto com listras brancas e um salto preto da sola vermelha. Seus cabelos estavam presos em "rabo de cavalo", deixando seus cachos mais radiantes e sua maquiagem era leve, mas sofisticada.

— Estamos aqui na primeira sessão para a declaração de pose permanente…

— Permanente? – Caroline questionava sua advogada num tom baixo.

—… Da guarda do menor Petter Raynes Dappher. Vamos começar com a defesa. – a juíza disse e então a amiga de Caroline levantou-se cheia de si. Essa sessão ia ser mais insuportável do que eu poderia imaginar.

Pedido
“Não posso e não vou ceder!"


A sessão já tinha acabado. Elas estavam indo melhor do que deviam. Eu estava conversando com meu advogado, quando Caroline se aproximou de nós.

— Com licença! – meu advogado disse e saiu, nos deixando sozinhos.

— Posso falar com você? – ela perguntou meio receosa.

Balancei a cabeça em sinal afirmativo e então fomos caminhando até um lugar mais calmo. Achamos um lugar com um banco, bem longe de todo o tumulto que o tribunal se encontrava.

Sentamo-nos e então ela começou a falar.

— Eu… É… Vim te fazer um acordo. – ela disse meio fria. Ela me parecia um pouco arrogante.

— É mesmo? E o que você quer? – tratei de ser mais frio e indiferente que ela. Ela me olhou surpresa e disse:

— Tom… Por favor… Não continue com isso… – agora sim. Ela estava realmente me pedindo aquilo?

— O que? Você acha que eu vou desistir? De jeito nenhum Carol… Você pediu por isso… – eu disse já me levantando. Eu só queria que ela não me deixasse ir e assim foi. Ela segurou meu braço levemente, enquanto dizia meu nome. Nada mais foi dito. Eu fiquei em pé, deixando que a voz dela reinasse em meus pensamentos. Tom… Tom… Tom… Eu a ouvia me chamando, apenas em minha mente.

— O que? – eu disse quando meus pensamentos foram tomados pelo o rosto choroso e incrivelmente lindo que se encontrava em minha frente.

— Por favor… Não peça a guarda permanente… Petter… É tudo que eu tenho… – ela disse já com os olhos marejados.

— E você pensou em mim quando escondeu MEU filho? Não… Pois saiba que ele é tudo que eu tenho agora… Tudo que sobrou do que eu poderia ter um dia…

— Tom… Não… Por favor… Me desculpa pelo o que eu fiz… Eu sei que eu errei… Não faz isso comigo Tom… – ela segurava minha mão, enquanto uma lágrima traçava seu rosto. Virei para o outro lado, enquanto engolia um possível choro que viria. Respirei fundo e disse:

— Desculpa Carol, mas como eu já disse você pediu por isso e Petter é minha vida agora! – eu disse e saí, deixando-a sozinha ali.

Eu sentia meu rosto queimar, sem razão. Bill e os Gs me esperavam para sair do tribunal. Era a hora de enfrentar a mídia.

*


Continua?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: O Retorno De C.R. ~ TERMINADA   Hoje à(s) 11:35 am

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
O Retorno De C.R. ~ TERMINADA
Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo 
Página 2 de 4Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
 Tópicos similares
-
» Retorno em fone de ouvido
» O que ouvir nos fones de retorno?
» Caixas de retorno de palco.
» [JYP] Sunmi, ex-integrante do Wonder Girls, fará retorno solo.
» Atraso no retorno.

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
TH BRASIL OFICIAL - Fórum :: Fan Stuff :: FanFics :: One Shots-
Ir para: